Sucesso é o que marca a mesa redonda do Direito

A desigualdade de gênero ainda existe e cria vários obstáculos para as mulheres no mercado de trabalho. Sabendo disso, em homenagem ao mês da mulher, nessa quarta-feira, dia 27 de março, o curso de Direito da Faculdade PIO XII promoveu um evento de debate para discutir a temática “Os desafios da mulher no mercado de trabalho jurídico”. A conferência aconteceu no auditório da instituição e contou com a presença de grandes mulheres do Direito.

 

A solenidade de abertura foi realizada pelo Coordenador do curso, Gilvan Morandi, e em seguida a nossa Presidente de Honra, Thereza Vilaschi Chibib, fez uma breve introdução ao tema, falando um pouco sobre a mulher no mercado de trabalho e a busca por igualdade.

Após abertura, teve início a mesa redonda. Foram convidadas as Doutoras Maria Clara Perim (Promotora de Justiça do Combate à Corrupção da Comarca da Serra), Silvana Perini (Delegada do Plantão Especializado da Mulher), Sayonara Barbosa (Juíza Titular da 4ª Vara da Fazenda Pública Estadual, Municipal, Registros Públicos, Meio Ambiente e Saúde de Vitória) e Simone Frizzera (Oficial de Justiça Avaliadora Federal). A Professora Ludmila Nogueira foi quem conduziu o debate.

Por meio de uma conversa descontraída, as convidas contaram sobre suas trajetórias de vida e os obstáculos que tiveram que enfrentar para alcançar o sucesso profissional. “Antes de qualquer coisa devemos acreditar em nosso potencial” ressaltou a Juíza Sayonara Barbosa.

Quando questionada sobre quais seriam os maiores conflitos internos enfrentados durante sua trajetória profissional, a Promotora Maria Clara Perim falou a respeito do papel designado há mulher desde a antiguidade. “Ao longo da história o homem se tornou a imagem da razão e a mulher foi colocada no espaço da afetividade e cuidado do lar” ressaltou.

Para a Promotora um dos maiores desafios foi conciliar a vida familiar com o sonho de sucesso profissional. “Desde de pequena você aprende que cuidar dos filhos é uma tarefa de sua responsabilidade, e quando você passa a dividi-la com outros afazeres, internamente você se sente culpada, e pensar assim não é culpa da mulher, mas de uma sociedade patriarcal que colocou essa responsabilidade sobre os nossos ombros. Tive culpa, porém fiz as escolhas contra o estigma” relatou.

Além da busca pela libertação do estigma de mãe e responsável do lar, durante o debate as convidadas também apontaram questões relacionadas ao preconceito no mercado de trabalho, que segundo elas é uma consequência da quebra de padrão. “Não é comum no meio jurídico que mulheres ocupem cargos altos, e nós precisamos acabar com isso” contou a Oficial de Justiça Simone Frizzera.

Segundo a Delegada Silvana Perini, ser mulher no mercado do Direito é difícil, entretanto quando se há persistência não existe lugar para desistência. “Para movimentar a vida é necessário ter meta, e nós somos capazes de conquistar o topo” destacou.

Por fim, quando questionadas sobre o lugar da mulher no mundo, a resposta foi o um verdadeiro consenso. Todas as falas se encaminharam para o termo igualdade. Segundo elas, falar do lugar da mulher no mundo é falar de igualdade, pois uma sociedade que luta pelo igual, busca reduzir diferenças e gerar oportunidades.

Ao final, em parceria com a Faculdade, o Centro de Convenções de Vitória presenteou as palestrantes com uma orquídea. Cabe destacar que cada aluna que participou do evento foi presenteada com uma rosa.

A mesa redonda foi um grande sucesso! Parabéns a todos!

Momentos

 

×

Olá, seja bem-vindo(a)!

Entre em contato agora com nossa equipe.

× Como posso te ajudar?