Saiba como passar nos concursos mais disputados

O concurso público da Petrobras tem 469 candidatos inscritos por vaga. Já o certame do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), realizado no ano passado, contou com uma disputa de 991 participantes por cargo. Há ainda inúmeras seleções que contam com a participação de mais de um milhão de candidatos, como é o caso da Caixa Econômica Federal e do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Como driblar essa concorrência e se dar bem em seleções tão disputadas?

A diretora pedagógica do CEP, Ivone Goldner, avalia que para se destacar nesta multidão de candidatos, além das dicas básicas – não aguardar o edital para começar a estudar, ter foco, ter um plano de estudos, não ser imediatista, revisar o conteúdo estudado, preparar-se emocionalmente, saber renunciar, investir na língua portuguesa, ter o hábito de leitura e estudar até passar –, o grande diferencial de um concurseiro vencedor é a motivação.

 “O que mais determina o alcance da aprovação são os fatores internos, aquilo que a pessoa realmente deseja e porque deseja. Não importa o ambiente externo, se favorável ou contrário. Quando se quer uma coisa com determinação, com prioridade, você consegue, ainda que com maior ou menor dificuldade”, disse a diretora.
Na opinião do diretor pedagógico da Academia do Concurso, Paulo Estrella, os concursos que alcançam uma alta relação candidato/vaga possuem algumas características que devem ser levadas em consideração pelo candidato. Nesses concursos, segundo ele, a pessoa não briga contra a prova e sim contra a concorrência.

“Além de ter conhecimento da disciplina, o candidato deve saber mais que a concorrência. Isso significa que a briga é feita questão a questão. Uma resposta errada por descuido pode tirar o candidato da lista de aprovados. Quanto mais difícil a prova, quem se dá bem é aquele que está melhor preparado. Neste caso, passa aquele que estudou mais. Muitos empates são prejudiciais para quem está concorrendo, pois, na hora de desempatar, a regra nem sempre favorece esse candidato”, explicou Estrella.

Ele explica ainda que quando a prova é mais difícil, as chances de empate são menores e o desempenho é proporcional aos estudos. Para ter mais chance de aprovação o candidato deve se esforçar o possível para conhecer profundamente a banca organizadora da prova. “Conhecer a capacidade da banca em cobrar cada conteúdo e em que profundidade é garantir um melhor aproveitamento dos estudos e do esforço”.

As dicas para se dar bem
Planejamento, disciplina e muito estudo 
Um planejamento eficaz e antecipado, não esperando o edital para começar a estudar, dará tempo de se preparar com calma e sem atropelos. Organização e disciplina também são essenciais, acompanhadas de três ingredientes básicos: estudar, estudar e estudar.

Foco
Faça a escolha da carreira que quer alcançar, trace seu plano de estudos e siga em frente visando atingir o emprego dos sonhos. Mas, se necessário, busque outros concursos para servir de degrau e sustentação financeira até atingir o concurso dos sonhos.

Horas de estudo
Quanto maior for o número de horas de estudo e mais bem aproveitado esse tempo, maior serão as chances de aprovação.

Resolução de questões concursos anteriores
Método eficaz para controlar o tempo gasto nas questões, para entender o raciocínio das questões e também o que a banca examinadora cobra e valoriza sobre determinado assunto.

Véspera da prova
Separar os documentos necessários de acordo com o edital. Se possível, fazer uma visita antes ao local da prova e marcar o tempo do percurso para não ser surpreendido por congestionamentos. Ficar atento a qualquer mudança no trânsito. Preparar roupas e sapatos confortáveis para usá-los no dia da prova.

Hora da prova
Fazer uma boa leitura da prova e administrar bem o tempo darão segurança e tranquilidade.

Títulos
Em concursos que tenha prova de títulos é essencial pensar nisso e se preparar fazendo, por exemplo, uma pós-graduação que contará na classificação final.

concurso

Saiba como passar nos concursos mais disputados

O concurso público da Petrobras tem 469 candidatos inscritos por vaga. Já o certame do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), realizado no ano passado, contou com uma disputa de 991 participantes por cargo. Há ainda inúmeras seleções que contam com a participação de mais de um milhão de candidatos, como é o caso da Caixa Econômica Federal e do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Como driblar essa concorrência e se dar bem em seleções tão disputadas?

A diretora pedagógica do CEP, Ivone Goldner, avalia que para se destacar nesta multidão de candidatos, além das dicas básicas – não aguardar o edital para começar a estudar, ter foco, ter um plano de estudos, não ser imediatista, revisar o conteúdo estudado, preparar-se emocionalmente, saber renunciar, investir na língua portuguesa, ter o hábito de leitura e estudar até passar –, o grande diferencial de um concurseiro vencedor é a motivação.

 “O que mais determina o alcance da aprovação são os fatores internos, aquilo que a pessoa realmente deseja e porque deseja. Não importa o ambiente externo, se favorável ou contrário. Quando se quer uma coisa com determinação, com prioridade, você consegue, ainda que com maior ou menor dificuldade”, disse a diretora.
Na opinião do diretor pedagógico da Academia do Concurso, Paulo Estrella, os concursos que alcançam uma alta relação candidato/vaga possuem algumas características que devem ser levadas em consideração pelo candidato. Nesses concursos, segundo ele, a pessoa não briga contra a prova e sim contra a concorrência.

“Além de ter conhecimento da disciplina, o candidato deve saber mais que a concorrência. Isso significa que a briga é feita questão a questão. Uma resposta errada por descuido pode tirar o candidato da lista de aprovados. Quanto mais difícil a prova, quem se dá bem é aquele que está melhor preparado. Neste caso, passa aquele que estudou mais. Muitos empates são prejudiciais para quem está concorrendo, pois, na hora de desempatar, a regra nem sempre favorece esse candidato”, explicou Estrella.

Ele explica ainda que quando a prova é mais difícil, as chances de empate são menores e o desempenho é proporcional aos estudos. Para ter mais chance de aprovação o candidato deve se esforçar o possível para conhecer profundamente a banca organizadora da prova. “Conhecer a capacidade da banca em cobrar cada conteúdo e em que profundidade é garantir um melhor aproveitamento dos estudos e do esforço”.

As dicas para se dar bem
Planejamento, disciplina e muito estudo 
Um planejamento eficaz e antecipado, não esperando o edital para começar a estudar, dará tempo de se preparar com calma e sem atropelos. Organização e disciplina também são essenciais, acompanhadas de três ingredientes básicos: estudar, estudar e estudar.

Foco
Faça a escolha da carreira que quer alcançar, trace seu plano de estudos e siga em frente visando atingir o emprego dos sonhos. Mas, se necessário, busque outros concursos para servir de degrau e sustentação financeira até atingir o concurso dos sonhos.

Horas de estudo
Quanto maior for o número de horas de estudo e mais bem aproveitado esse tempo, maior serão as chances de aprovação.

Resolução de questões concursos anteriores
Método eficaz para controlar o tempo gasto nas questões, para entender o raciocínio das questões e também o que a banca examinadora cobra e valoriza sobre determinado assunto.

Véspera da prova
Separar os documentos necessários de acordo com o edital. Se possível, fazer uma visita antes ao local da prova e marcar o tempo do percurso para não ser surpreendido por congestionamentos. Ficar atento a qualquer mudança no trânsito. Preparar roupas e sapatos confortáveis para usá-los no dia da prova.

Hora da prova
Fazer uma boa leitura da prova e administrar bem o tempo darão segurança e tranquilidade.

Títulos
Em concursos que tenha prova de títulos é essencial pensar nisso e se preparar fazendo, por exemplo, uma pós-graduação que contará na classificação final.

concurso
×

Olá, seja bem-vindo(a)!

Entre em contato agora com nossa equipe.

× Como posso te ajudar?