O Procurador de Justiça do Estado, Alexandre José Guimarães, que já deu aulas na Faculdade PIO XII, foi convidado para fazer a palestra de abertura da II Jornada Científica do Direito, nesta segunda-feira, 13. O Procurador falou sobre  “A importância da produção científica nas faculdades de Direito para o desenvolvimento das carreiras jurídicas e êxito profissional”.

O que ele classificou como um bate papo, em vez de palestra, foi cheio de informações interessantes, desde exemplos de processos judiciais e esclarecimentos constitucionais, até exemplos de recursos e casos.

Após a palestra, dois artigos de alunos foram apresentados publicamente – depois de terem sido selecionados pelos professores organizadores da Jornada. Cleidemara Ferreira Nunes e Juliana Gabrieli Pimentel apresentaram o trabalho com o tema “Efeitos jurídicos decorrentes da doação entre nubentes septuagenários, frente a imposição do artigo 1641, II, do Código Civil”.

Em seguida, Carlos Henrique Araújo e Robson Dornelas Couto apresentaram artigo com o tema “Tiro de abate a aeronave hostil: análise da (in)constitucionalidade à luz do direito fundamental à vida”.

A Jornada foi organizada pelas Professoras Claudia Farinelli Leite e Ludmila Montibeller e o Coordenador do curso de Direito, Gilvan Morandi.

Confira a programação desta terça-feira:

14 DE NOVEMBRO DE 2017

19h00 – Palestra de encerramento

Marcelo Loureiro – Juiz de Direito do Estado do Espírito Santo; Professor da Faculdade Pio XII

Tema: “Audiências de custódia e o método APAC na execução penal: iniciativas humanizadoras no sistema prisional”.

20h30 – Apresentação Pública da pesquisa realizada pelos alunos do Curso de Direito Diego da Vitória Dias e Doralice Araújo Alencastre com o tema “A constitucionalidade da portaria MTE 1565/2014 que regulamenta o pagamento do adicional de periculosidade para motociclistas”.

21h00 – Apresentação Pública da pesquisa realizada pelos alunos do Curso de Direito João David Pereira Chaves e Tainá Teixeira passos com o tema “A aplicação do princípio da igualdade na multi-hereditariedade”.