O que o curso de Administração de Empresas pretende?

O curso de Administração de Empresas da PIO XII é uma importante porta de acesso ao progresso sócio–econômico de inúmeros jovens que escolheram este curso para galgar degraus em suas carreiras pessoal e profissional. Tenho consciência da esperança e da confiança que os estudantes depositam em nosso trabalho e as suas conquistas vêm se repetindo a cada ano, quando novas turmas se formam e os nossos alunos assumem posições de destaque no cenário Administraçãocapixaba atuando em cargos dos mais diversos níveis em grandes empresas privadas, como também se destacando em funções na administração pública.

Para isso, tenho a certeza de que o nosso principal diferencial é o corpo docente, pois, além da sólida formação acadêmica, possui ampla experiência no mercado de trabalho relacionada à disciplina que ensina, o que permite trabalhar em perfeita sinergia da teoria com a prática, sempre buscando elementos, informações, tecnologias e ideias de renovação e vanguarda para motivar os alunos em sua trajetória acadêmica e profissional.

 

Quais são as disciplinas que um aluno que pretende cursar administração tem que ter maior afinidade?

Algumas disciplinas como Introdução à Administração, Teoria Geral da Administração e Gestão de Processos e Modelos Organizacionais servem como base para o curso e, ministradas desde o primeiro período, fazem com que o aluno tenha a certeza da escolha do seu curso. Também considero extremamente relevantes as disciplinas profissionais, tais como Gestão da Produção, Logística, Marketing, Gestão de Pessoas, Finanças, Orçamento, custos e Formação de Preços de Venda, Gestão de Materiais, Administração Estratégica e as disciplinas como Macroeconomia, Economia Internacional e Mercado Financeiro e Capitais, que permitem ao Administrador ter sólidos conhecimentos da conjuntura macroeconômica para que possa tomar decisões acertadas. Dessa forma, o aluno formando em Administração adquire uma visão abrangente e estratégica, para atuar em diversos tipos de empresa, de qualquer porte. Também destaco as disciplinas formadoras do pensamento ou que dão elementos aos alunos a pensarem criticamente, como Filosofia, Sociologia, Psicologia e Comportamento Organizacional, Ética, Metodologia de Pesquisa Científica e Seminários Interdisciplinares, que preparam o indivíduo para aprender a pensar analiticamente, sempre privilegiando a ética, o respeito ao pluralismo e a dignidade humana.

 

Quais são as habilidades que um aluno precisa ter para cursar Administração e as oportunidades de atuação do administrador?

O curso de Administração é o mais procurado nas instituições de ensino, pois é o curso que possui o maior leque de oportunidades para os mais diversos tipos de características, habilidades e vocações humanas. Formando em Administração, o profissional poderá atuar tanto na área de Gestão de Recursos Humanos como em Marketing; tanto na área de Finanças como na área de Produção; tanto em Estoque e Materiais como em Orçamento, dentre outras diversas áreas. Porém, a habilidade que fará o Administrador ter mais destaque no mercado é a sua vocação de liderança, pois permite alcançar os mais elevados cargos de Gerência e Diretoria que, segundo as revistas especializadas, são os profissionais mais bem remunerados do mercado. Mas, caso o aluno não tenha perfil para liderar pessoas não precisa desanimar, pois há uma grande necessidade no mercado do profissional com vocação para gerenciar processos e procedimentos nas mais diversas áreas.

Por isso o curso de Administração é o mais procurado em todo o Brasil, pois é aquele que mais oferece oportunidades de atuação aos jovens formandos. Abre-se um enorme leque de opções para empresas de pequeno ou grande porte, públicas ou privadas. O importante é transmitir ao estudante que toda ação deve ser responsável e que a dedicação deve ser diuturna, se quiser se destacar na carreira. Com toda a tecnologia de que dispomos e também pela altíssima competição nos dias de hoje, é necessário, ainda, conscientizar–se de que a formatura não é o fim da estrada, mas, sim, o início de um novo ciclo em cursos de pós-graduação, em busca de um aprendizado constante.

 

Como é o projeto pedagógico do curso de Administração da PIO XII?

O nosso projeto pedagógico tem como objetivo principal formar um administrador com três competências básicas: as técnicas, as humanas e as conceituais. As competências técnicas dizem respeito ao know-how da profissão, ou seja, como fazer as coisas. Os estudantes devem sair da escola sabendo como se elabora um plano de marketing, como faz um recrutamento de pessoal ou como funcionam as finanças de uma organização. As competências humanas estão relacionadas ao trabalho em equipe, à comunicação interpessoal, ao exercício da liderança, à motivação e à resolução de conflitos. Por fim, não nos descuidamos da competência conceituais, adquiridas a partir da formação teórica profunda e duradoura. A teoria é a responsável pela capacidade dos altos executivos de poderem transitar de um setor da economia a outro.

 

Os professores da PIO XII utilizam casos reais para ensinar a matéria aos alunos?

A análise dos casos em nosso curso de Administração é fundamental e tem dupla função. De um lado, ela forma a “jurisprudência” da área administrativa na medida em que a discussão de casos exemplares é usada para o aprendizado como se eles fossem uma experiência de vida para os participantes. De outro, ao participar desse tipo de atividade, o estudante desenvolve atributos importantes, como a capacidade de resolução de problemas, de comunicar-se, o poder de persuasão e a elaboração de estratégias de ação.

 

Segundo as revistas especializadas, bons cursos de Administração possuem Empresa Junior. A PIO XII oferece essa oportunidade aos seus alunos?

As escolas de Administração que desejam oferecer um ensino de excelência devem necessariamente contar com uma empresa Junior. Esse é um dos itens mais valorizados pelas empresas quando avaliam o currículo dos candidatos. Na empresa Junior o aluno aprende a ter a responsabilidade de atender a um cliente por conta própria, buscando ajuda e orientação dos professores. Ao ter esse tipo de experiência, o estudante amadurece e chega ao mercado de trabalho dos negócios mais proativo, propondo soluções e tentando resolver problemas. Tão relevante como a empresa Junior na PIO XII são os programas de estágio que a Faculdade oferece aos seus alunos, pois por meio dessa experiência, o aluno não só entra em contato com as questões e os problemas da vida corporativa como passa a conhecer a filosofia e a cultura de diversas organizações empresariais. Além disso, os professores promovem, no âmbito das disciplinas profissionais do curso, visitas às mais diversas empresas do Espírito Santo, como Coca-Cola, Chocolates Garoto, Samarco, ArcelorMittal, Terca, Silotec e ainda Feiras dos mais importantes segmentos empresariais.

 

A PIO XII desenvolve pesquisas de mercado e dá oportunidade aos alunos a participarem desse processo?

A Faculdade possui o seu próprio Centro de Pesquisas, denominado Rachid Mohamd Chibib, saudoso fundador da PIO XII, cujas atividades tiveram início em 02 de julho de 2007 desenvolvendo as mais diversas pesquisas de mercado para as organizações privadas, como também pesquisas sócio-econômicas para a área pública, por meio de convênio. Os nossos alunos participam ativamente das linhas de atuação do Centro de Pesquisas, que são:

1 – Revista Científica Sapientia, que tem como objetivo alcançar (interna e externamente) o reconhecimento como instrumento de disseminação do conhecimento científico, da pesquisa e da excelência que caracteriza a Faculdade PIO XII.

2 – Pesquisas de Mercado que envolvem Gerenciamento de pesquisa, de acordo com a demanda de mercado e com as oportunidades (necessidades e pertinência) de temas de interesse da comunidade acadêmica, das organizações privadas e das entidades públicas do Estado.

3 – Seminários e Congressos, criando um alinhamento constante e consistente dos trabalhos desenvolvidos na Faculdade PIO XII com todas as formas de divulgação de trabalhos científicos, sejam congressos, seminários, workshops, revistas, jornais, etc. Veja os artigos de professores e alunos da PIO XII apresentados em Congressos e Seminários.

4 – Pesquisas Institucionais que permitem contribuir decisivamente com a Comissão Própria de Avaliação (CPA), inclusive aquelas relacionadas à percepção da satisfação de alunos e ex-alunos da Faculdade. Promover o estreitamento do relacionamento da Faculdade com o mercado externo, sempre na convergência e em relação à sua área de atuação.

 

Você indicaria a algum estudante que almeja uma brilhante carreira os cursos a distância?

Os cursos a distância no Brasil foram incentivados a partir da LDB de 1996 com o objetivo de tirar o atraso brasileiro com relação ao nível superior. Na época apenas 3% das pessoas em idade escolar universitária (de 17 a 25 anos) estavam na faculdade. O principal objetivo do curso a distância era proporcionar aos estudantes das mais distantes regiões brasileiras a oportunidade de cursar uma faculdade. Os estudantes de ensino médio ou mesmo pessoas que já estavam no mercado de trabalho dessas regiões, por não terem acesso a nenhuma instituição de ensino superior em sua cidade, teriam, pelo menos, uma oportunidade universitária mesmo que a distância. Claro que, nesta região, todos os estudantes seriam formados a distância e teriam as mesmas condições de aprendizado e estariam em pé de igualdade para disputarem uma vaga no mercado de trabalho e atenderem à incipiente demanda local.

Em grandes centros, a situação muda totalmente de figura. Por exemplo, na região Metropolitana da Grande Vitória, como existem faculdades de ensino presencial com nível de excelência, é claro que um estudante diplomado em cursos a distância não terá a mínima condição de competir no mercado de trabalho com estudantes que freqüentaram o ensino presencial, durante quatro anos, com acesso diário à sala de aula, convivendo com ótimos professores, tendo a oportunidade de desenvolver o debate pessoalmente, o que permite desenvolver de forma espetacular a sensibilidade, a capacidade crítica e analítica e tendo a oportunidade de por a mão na massa, o que permite desenvolver as habilidades necessárias para desempenhar no dia seguinte as suas funções no mercado de trabalho. Por isso, os estudantes formados em cursos a distância sofrem os mais diversos tipos de preconceito nas grandes cidades (muitas vezes velados) nas melhores e maiores empresas do mercado. Sem falar no nível de desistência de estudantes matriculados em cursos a distância que chega à impressionante marca de 90% no Brasil, segundo as revistas especializadas. Por fim, é importante refletir sobre a seguinte questão: por que as áreas de Engenharia e Medicina não permitem nem reconhecem cursos na modalidade a distância?