Inglês: sinônimo de sucesso na carreira de Comércio Exterior

Busca de novos mercados e renegociação de contratos são os caminhos adotados pelos exportadores para driblar os efeitos negativos da desvalorização de moedas e manterem-se na atividade. Isso significa não só conhecer os mecanismos reguladores de importações e exportações, mas também, e principalmente, desenvolver a capacidade de fazer negócios com o resto do mundo.

Em época de globalização, os conhecimentos de um Administrador com linha de formação específica em Comércio Exterior são de grande valia. As empresas estão cientes disso e o mercado está altamente receptivo a esses profissionais. Mas, para que isso aconteça, é necessário que os profissionais dessa área estejam preparados para a realização de negócios internacionais.

Para o profissional que queira obter sucesso na carreira, enfrentar os obstáculos e ir além das fronteiras é muito importante que ele esteja treinado, capacitado e, acima de tudo, tenha fluência em pelo menos uma língua estrangeira. Assim, ele estará apto a interpretar documentos, enfrentar desafios e ter acesso a novas culturas com mais segurança e agilidade.

Hoje, mais de um bilhão de pessoas em todo o mundo aprendem inglês. Desse total, 375 milhões o utilizam como primeira língua, e o dobro de pessoas, ou seja, 750 milhões, usam o inglês como segunda opção de idioma.

De acordo com a Professora e Coordenadora do Curso de Comércio Exterior da Faculdade PIO XII, Martha Hand, a língua inglesa está presente em todas as áreas e, especificamente, na área de comércio exterior, na qual o profissional realiza a negociação caracterizada pelo intercâmbio econômico, político e cultural, que chamamos de “comércio internacional”.

“A negociação internacional, quando bem feita, ou seja, uma negociação unida pelo conhecimento da legislação aliada à fluência do inglês, só pode finalizar em uma negociação de sucesso”, comenta a Professora.

Martha acrescenta ainda que a língua estrangeira, em especial a língua inglesa, tornou-se ferramenta importantíssima, por que não dizer obrigatória, para o comércio exterior, já que vivemos em um mundo globalizado. “A fala e a escrita são indispensáveis para a comunicação e o sucesso na negociação. A língua inglesa não é somente mais uma estratégia, mas sim uma necessidade para o crescimento profissional” explica.

A Doutora em Letras, Márcia Helena Damianovic, aconselha as pessoas da seguinte forma: “Aprenda inglês, para não perder o bonde da história”. A Professora Martha completa: “Aprenda inglês para não perder o trem, a carreta, o navio e o avião do momento”.

Inglês: sinônimo de sucesso na carreira de Comércio Exterior

Busca de novos mercados e renegociação de contratos são os caminhos adotados pelos exportadores para driblar os efeitos negativos da desvalorização de moedas e manterem-se na atividade. Isso significa não só conhecer os mecanismos reguladores de importações e exportações, mas também, e principalmente, desenvolver a capacidade de fazer negócios com o resto do mundo.

Em época de globalização, os conhecimentos de um Administrador com linha de formação específica em Comércio Exterior são de grande valia. As empresas estão cientes disso e o mercado está altamente receptivo a esses profissionais. Mas, para que isso aconteça, é necessário que os profissionais dessa área estejam preparados para a realização de negócios internacionais.

Para o profissional que queira obter sucesso na carreira, enfrentar os obstáculos e ir além das fronteiras é muito importante que ele esteja treinado, capacitado e, acima de tudo, tenha fluência em pelo menos uma língua estrangeira. Assim, ele estará apto a interpretar documentos, enfrentar desafios e ter acesso a novas culturas com mais segurança e agilidade.

Hoje, mais de um bilhão de pessoas em todo o mundo aprendem inglês. Desse total, 375 milhões o utilizam como primeira língua, e o dobro de pessoas, ou seja, 750 milhões, usam o inglês como segunda opção de idioma.

De acordo com a Professora e Coordenadora do Curso de Comércio Exterior da Faculdade PIO XII, Martha Hand, a língua inglesa está presente em todas as áreas e, especificamente, na área de comércio exterior, na qual o profissional realiza a negociação caracterizada pelo intercâmbio econômico, político e cultural, que chamamos de “comércio internacional”.

“A negociação internacional, quando bem feita, ou seja, uma negociação unida pelo conhecimento da legislação aliada à fluência do inglês, só pode finalizar em uma negociação de sucesso”, comenta a Professora.

Martha acrescenta ainda que a língua estrangeira, em especial a língua inglesa, tornou-se ferramenta importantíssima, por que não dizer obrigatória, para o comércio exterior, já que vivemos em um mundo globalizado. “A fala e a escrita são indispensáveis para a comunicação e o sucesso na negociação. A língua inglesa não é somente mais uma estratégia, mas sim uma necessidade para o crescimento profissional” explica.

A Doutora em Letras, Márcia Helena Damianovic, aconselha as pessoas da seguinte forma: “Aprenda inglês, para não perder o bonde da história”. A Professora Martha completa: “Aprenda inglês para não perder o trem, a carreta, o navio e o avião do momento”.