Governo do Estado anuncia pacote de R$ 890 milhões para reparo de danos causados pela chuva

Um pacote de medidas que totaliza R$ 890 milhões foi anunciado ontem pelo governador Renato Casagrande para a reconstrução do Espírito Santo, após os estragos provocados pelas fortes chuvas de dezembro, que além de prejuízos materiais causaram 24 mortes. A maior parte dos recursos – R$ 540 milhões – vai para a recuperação de estradas, pontes e equipamentos urbanos dos 54 municípios atingidos.

Para o setor produtivo serão disponibilizados R$ 350 milhões, em linhas de financiamento especiais para minimizar os prejuízos. A produção agrícola foi uma das mais afetadas e já contabiliza prejuízos que superam os R$ 300 milhões.

Casagrande destacou que os investimentos são iniciais. “É uma primeira versão. Muitos municípios ainda não conseguiram concluir a avaliação dos seus danos”, destacou, assinalando que algumas das medidas adotadas ontem são históricas.

Ele se refere a doação de até R$ 2,5 mil para famílias que recebem até três salários mínimos. Além disso, o governo vai subsidiar parte dos juros para linhas especiais de crédito destinadas ao setor produtivo.

Parte dos recursos anunciados ontem – quase R$ 260 milhões –, vai para a recuperação e reconstrução das estradas estaduais e municipais. Entre elas estão as três rodovias estaduais onde a enchente abriu crateras, interditando-as totalmente: a ES 010, em Jacaraípe, Serra; a ES 060, em Marataízes; e a ES 341, em Pancas.

Os recursos vão sair dos cofres públicos, mas a expectativa do governo é de que a União – com ajuda já prometida pela presidente Dilma Rousseff – arque com pelo menos a metade destes investimentos. Na próxima semana, Casagrande se reúne com representantes do governo federal e da Defesa Civil nacional para discutir o assunto.

No mais tardar na quinta-feira, ele segue para Brasília para conversar com os ministros da Integração, Francisco Teixeira, e das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, para apresentar o plano de reconstrução.

Antes de viajar, Casagrande pretende concluir várias propostas que vão ser encaminhados para a Assembleia Legislativa, cujos deputados vão ser convocados extraordinariamente. O objetivo é a votação de projetos, como o que propõe a prorrogação dos prazos recursais de cobrança de tributos, e que vão beneficiar as empresas afetadas por enchente.

Casagrande solicitou ao Tribunal de Contas e ao Ministério Público Estadual que acompanhem os municípios e o Estado no desenvolvimento dos projetos. “Queremos agilidade, mas não vamos tolerar desvios”, assinalou.

Passos

De acordo com o governador, os passos para a reconstrução do Estado já foram dados. O primeiro deles foi normalizar o abastecimento de água em todas as cidades. Em seguida, foi iniciada a limpeza dos municípios, seguida da desobstrução das estradas.

O próximo passo agora é contratar as empresas que vão construir 1.500 unidades habitacionais em diversas cidades. O custo estimado de cada casa será de R$ 48 mil.

O momento é importante, na avaliação de Casagrande, para as dezenas de famílias que perderam tudo com a enchente. “Esta é a etapa mais difícil e importante: restabelecer a esperança de quem perdeu tudo, até a sua história”.

Onde a ajuda é prioritária

Afetados
54 municípios foram atingidos pelas chuvas e vão receber ajuda estadual, mas a situação é mais difícil em 16 cidades.

Interior
Nova Venécia
Baixo Guandu
Rio Bananal
Linhares
Colatina
Itaguaçu
Itarana
Santa Leopoldina
Santa Maria
Santa Teresa
Barra São Francisco
Águia Branca
Pancas

Grande Vitória
Vila Velha
Serra
Viana

Governo do Estado anuncia pacote de R$ 890 milhões para reparo de danos causados pela chuva

Um pacote de medidas que totaliza R$ 890 milhões foi anunciado ontem pelo governador Renato Casagrande para a reconstrução do Espírito Santo, após os estragos provocados pelas fortes chuvas de dezembro, que além de prejuízos materiais causaram 24 mortes. A maior parte dos recursos – R$ 540 milhões – vai para a recuperação de estradas, pontes e equipamentos urbanos dos 54 municípios atingidos.

Para o setor produtivo serão disponibilizados R$ 350 milhões, em linhas de financiamento especiais para minimizar os prejuízos. A produção agrícola foi uma das mais afetadas e já contabiliza prejuízos que superam os R$ 300 milhões.

Casagrande destacou que os investimentos são iniciais. “É uma primeira versão. Muitos municípios ainda não conseguiram concluir a avaliação dos seus danos”, destacou, assinalando que algumas das medidas adotadas ontem são históricas.

Ele se refere a doação de até R$ 2,5 mil para famílias que recebem até três salários mínimos. Além disso, o governo vai subsidiar parte dos juros para linhas especiais de crédito destinadas ao setor produtivo.

Parte dos recursos anunciados ontem – quase R$ 260 milhões –, vai para a recuperação e reconstrução das estradas estaduais e municipais. Entre elas estão as três rodovias estaduais onde a enchente abriu crateras, interditando-as totalmente: a ES 010, em Jacaraípe, Serra; a ES 060, em Marataízes; e a ES 341, em Pancas.

Os recursos vão sair dos cofres públicos, mas a expectativa do governo é de que a União – com ajuda já prometida pela presidente Dilma Rousseff – arque com pelo menos a metade destes investimentos. Na próxima semana, Casagrande se reúne com representantes do governo federal e da Defesa Civil nacional para discutir o assunto.

No mais tardar na quinta-feira, ele segue para Brasília para conversar com os ministros da Integração, Francisco Teixeira, e das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, para apresentar o plano de reconstrução.

Antes de viajar, Casagrande pretende concluir várias propostas que vão ser encaminhados para a Assembleia Legislativa, cujos deputados vão ser convocados extraordinariamente. O objetivo é a votação de projetos, como o que propõe a prorrogação dos prazos recursais de cobrança de tributos, e que vão beneficiar as empresas afetadas por enchente.

Casagrande solicitou ao Tribunal de Contas e ao Ministério Público Estadual que acompanhem os municípios e o Estado no desenvolvimento dos projetos. “Queremos agilidade, mas não vamos tolerar desvios”, assinalou.

Passos

De acordo com o governador, os passos para a reconstrução do Estado já foram dados. O primeiro deles foi normalizar o abastecimento de água em todas as cidades. Em seguida, foi iniciada a limpeza dos municípios, seguida da desobstrução das estradas.

O próximo passo agora é contratar as empresas que vão construir 1.500 unidades habitacionais em diversas cidades. O custo estimado de cada casa será de R$ 48 mil.

O momento é importante, na avaliação de Casagrande, para as dezenas de famílias que perderam tudo com a enchente. “Esta é a etapa mais difícil e importante: restabelecer a esperança de quem perdeu tudo, até a sua história”.

Onde a ajuda é prioritária

Afetados
54 municípios foram atingidos pelas chuvas e vão receber ajuda estadual, mas a situação é mais difícil em 16 cidades.

Interior
Nova Venécia
Baixo Guandu
Rio Bananal
Linhares
Colatina
Itaguaçu
Itarana
Santa Leopoldina
Santa Maria
Santa Teresa
Barra São Francisco
Águia Branca
Pancas

Grande Vitória
Vila Velha
Serra
Viana