Maior congresso de gestão de pessoas do Espírito Santo discute criatividade, engajamento e inovação nas empresas

Especialistas de renome nacional e internacional estarão em Vitória nos dias 21 e 22 de junho para compartilhar com os participantes do 28º Congresso Estadual de Gestão de Pessoas (CEARH) toda a sua experiência com questões como criatividade, engajamento e inovação nas empresas. O evento, promovido pela Associação Brasileira de Recursos Humanos – Seccional Espírito Santo (ABRH-ES), tem como tema central “Mundo em Rede, Soluções em Rede”.

Na programação do CEARH, que será realizado no Grand Hall Vitória, no bairro Santa Luíza, em Vitória, palestras, workshops, painéis, rodas de conversa, e uma feira de negócios para apresentar as novidades nas áreas de Gestão de Pessoas e desenvolvimento humano.

Uma das palestras será ministrada pelo sócio da Santo Caos – primeira consultoria de engajamento do Brasil, Jean Soldatelli. Premiado com 12 Globos de Ouro nacionais e mundiais, o especialista falará sobre “Voluntariado Estratégico: como aumentar o engajamento com seu Programa de Voluntariado”, no dia 22 de junho.

Segundo Jean Soldatelli, o voluntariado pode se transformar em uma ferramenta estratégica, contribuindo de forma direta para a evolução profissional e pessoal do colaborador. “Um funcionário que participa do programa de voluntariado corporativo é, em média, 16% mais engajado que os demais. Ele aumenta a produtividade e, como consequência, a empresa tem mais lucro”, destaca.

O palestrante ressalta ainda que o voluntariado trabalha todas as conexões de forma muito peculiar. “A conscientização, porque o funcionário entende melhor a empresa e conhece as pessoas de outras áreas e hierarquia. O compromisso, porque é um respiro na rotina. O pertencimento, porque dá voz ativa e humaniza. O orgulho, porque traz propósito e reconhecimento. E, por último, o compartilhamento, porque o colaborador acaba virando um porta-voz da marca”, garante Jean Soldatelli.

Já o mestre em Tecnologias Educacionais e CEO da LEO Brasil, Richard Vasconcelos, falará no dia 21 de junho sobre “Novas Tecnologias para Educação Corporativa”. Com mais de 13 anos de experiência em ensino à distância e tecnologias e inovação para desenvolvimento profissional, ele defende que a tecnologia tem potencial para transformar a educação.

“Pelo celular temos acesso à informação a qualquer momento. No entanto, existe o desafio de não mais entregar o conhecimento e, sim, ensinar a pessoa a aplicá-lo. O professor precisa se adaptar às mudanças. Ele não pode gastar a sua aula repetindo o conteúdo que está pronto no YouTube, em aplicativos e livros. Precisa atuar como facilitador, criando espaços de aprendizagem e dinâmicas que proporcionem a aplicação do conhecimento”, indica Richard.

De acordo com o CEO, a tecnologia veio facilitar o aprendizado no ambiente corporativo. “Primeiro, pela motivação do próprio colaborador, que, muitas vezes, tem de obter conhecimento para evoluir na carreira. E há ainda os benefícios para a empresa, que precisa de pessoas bem capacitadas e produtivas, e sabe que precisa investir em seus colaboradores. A questão é que as organizações esbarram em desafios como rotatividade, dispersão geográfica e escala de trabalho. É aí que o ensino à distância, com o apoio da tecnologia, muitas vezes, se torna uma opção mais viável do que o ensino presencial”.

Workshops

Na programação de workshops, o diretor da agência Social Performance e professor de marketing digital, Tiago de Carvalho, abordará o tema “Mídias Sociais como Canais de Relacionamento e Construção da Imagem Corporativa”, no dia 22 de junho. Segundo o professor, a primeira pergunta que deve ser feita ao inserir as redes sociais no dia a dia da empresa é questionar o objetivo da organização com isso.

“A boa imagem corporativa está atrelada ao ‘Como eu quero que a minha empresa seja vista?’. Esse desejo tem que ser coerente com as ações praticadas. Se eu digo para o consumidor final que tenho a entrega mais rápida da cidade, eu preciso ter a entrega mais rápida da cidade. Ao cumprir o prometido, o consumidor fica satisfeito e pode até elogiar o serviço ou produto publicamente, nas mídias sociais, inclusive. Mas, se eu não cumpro, a crise pode ser instaurada e a imagem da empresa arranhada”, explica Tiago de Carvalho.

É um efeito em cadeia, de acordo com ele, uma vez que os funcionários também ficam mais comprometidos com a empresa. “Nessa coerência entre o que é dito e o que é feito, o colaborador se torna embaixador e defensor da marca em todos os ambientes, inclusive no digital”, ressalta.

Outro workshop será ministrado pelo consultor Marcelo Lage, mestre em Gestão do Conhecimento, Inovação e Dinâmica Empreendedora e fundador da Startify. No dia 21 de junho, ele falará sobre “Design Thinking: Além da Ferramenta”, uma técnica que tem direcionado empresários na resolução de problemas e incentivado a descoberta de novas oportunidades de negócios, produtos e serviços.

“O Design Thinking é um método estruturado para ajudar as pessoas a usarem a criatividade e fazê-las sair da zona de conforto, a pensarem ‘fora da caixa’. A sua aplicação precisa ter um propósito real, buscando conexão com as partes envolvidas e visando gerar aprendizado. É algo que resulta no aumento da capacidade das organizações de inovar”, ressalta Marcelo Lage.

Já a coach, escritora e sócia-diretora da Pro-Fit Coach e Treinamento, Eliana Dutra, estará no evento dia 22 de junho para ministrar a palestra “Liderança: O Que o Futuro nos Reserva?”. Especialista experiente em desenvolvimento de líderes, empresários e herdeiros, ela afirma que o perfil de liderança desejado agora é outro, acompanhando uma mudança de postura dos próprios consumidores.

“Hoje, o que faz um consumidor decidir por uma compra ou um serviço não é mais a qualidade. O que faz a diferença é o atendimento na loja, a assistência recebida. E o líder tem que aprender a fazer de forma diferente para não perder os seus melhores talentos e, consequentemente, ter uma menor satisfação do cliente. Ele precisa trabalhar para ter ao lado funcionários com iniciativa, que criem e que inovem”, orienta.

Diante desse assunto, uma das rodas de conversa do congresso é exatamente sobre a aplicação da criatividade para o bom desempenho de um negócio. Quem comandará a roda “As Recompensas do Desbloqueio Criativo”, no dia 21 de junho, é o palestrante Luan Lima, da empresa Percepções Criativas. “O primeiro passo para tornar os profissionais mais criativos é identificar os bloqueios e trabalhar a ideia de desaprender para reaprender. É preciso desensinar coisas, fatos, bloqueios e premissas para então reensinar como fazer diferente”, garante.

Inscrições

Para inscrições feitas até o próximo domingo, dia 30 de abril, associados da ABRH-ES pagam R$ 747,00 para participar dos dois dias do evento e R$ 448,00 para um dia. Não associados pagam R$ 896,00 (dois dias) e R$ 515,00 (um dia). Para estudantes associados o investimento é de R$ 324,00 (dois dias), e para estudantes não associados de R$ 379,00 (dois dias). A programação completa e a inscrição estão disponíveis no site www.abrhes.com.br.

SERVIÇO

28º CEARH – Congresso Estadual de Gestão de Pessoas

Local: Vitória Grand Hall – Rua Dr. João Carlos de Souza – Santa Luíza, Vitória

Data: 21 e 22 de junho

Horário: 8h às 17h30

Programação e inscrição: www.abrhes.org.br

Mais informações: (27) 3225-0886.

Tecnologias têm poder transformador no ambiente corporativo

A tecnologia tem poder para transformar a educação em todos os seus estágios, inclusive no ambiente profissional. É o que defende o mestre em Tecnologias Educacionais e CEO da LEO Brasil, Richard Vasconcelos, que faz palestra em Vitória no dia 21 de junho, durante o 28º Congresso Estadual de Gestão de Pessoas (CEARH), com o tema “Novas Tecnologias para Educação Corporativa”.

Uma boa alternativa para alcançar êxito, segundo ele, é investir na educação à distância. “Se a empresa tem, por exemplo, 10 mil funcionários espalhados pelo Brasil e vai lançar uma promoção na próxima semana, como consegue capacitar os seus vendedores a tempo? O ensino tradicional em sala de aula se torna um impeditivo e a única forma para que isso aconteça é por meio do ensino à distância”, ressalta.

No ambiente corporativo, a integração da educação e tecnologia tem outras vantagens. Uma delas é a motivação do colaborador que, muitas vezes, precisa aprender mais para evoluir na carreira. E há também o lado da empresa, que precisa de pessoas capacitadas e produtivas e precisa investir no treinamento e desenvolvimento de suas equipes.

Richard Vasconcelos diz que o próprio ensino superior utiliza muito a ferramenta como meio de reduzir custos e oferecer cursos a baixo custo, promovendo inclusão e ascensão social. Isso, sem citar os sites e os aplicativos disponíveis que ajudam as pessoas interessadas a estudar.

“São milhares de iniciativas e empresas investindo em tecnologia educacional. No entanto, a maior barreira para que esses recursos entrem na sala de aula continua sendo o professor. Ele continua ensinando da mesma maneira e não se adaptou às mudanças. Hoje, ao invés de entregar conhecimento, o profissional deve ensinar o aluno a aplicá-lo. É preciso atuar como um facilitador”, orienta o palestrante.

O professor, segundo Richard Vasconcelos, não pode gastar a sua aula repetindo o conteúdo que já existe e pedir para os alunos anotarem nos seus cadernos. “O dilema hoje é que temos professores do Século XX, ensinando para alunos do Século XXI e usando metodologias do Século XIX”, critica.

Futuro do líder é tema de debate em Congresso

Qual é o perfil ideal do líder do futuro? Como ele deverá se comportar e atuar dentro das organizações? Esses questionamentos estarão em discussão no dia 22 de junho, na palestra da coach, escritora e sócia-diretora da PRO-FIT Coach e Treinamento, Eliana Dutra, durante o 28º Congresso Estadual de Gestão de Pessoas (CEARH), em Vitória.

Eliana Dutra afirma que houve uma evolução do processo de liderança e que os profissionais têm que acompanhar a mudança. “O líder precisa aprender a ser um desenvolvedor de pessoas, aquele que apoia, ajuda e está ali para negociar. Ele não é mais a figura que sabe tudo. Por isso, tem de ser treinado quanto a novas formas de liderar. Como nem todos percebem essa necessidade, as empresas perdem recursos. Os melhores profissionais vão embora e ficam os menos capazes e menos produtivos”, observa.

A coach ressalta também que a geração Y leva vantagem quando o assunto é liderança. Como são jovens, ainda não possuem hábitos antigos que atrapalham a gestão. “Imagina uma pessoa em um cargo de liderança que faz há 20 anos as coisas do mesmo jeito? Para quem é jovem e está se tornando líder agora a atividade se torna bem mais fácil”, ressalta Eliana Dutra.

 

O 28º CEARH é uma realização da Associação Brasileira de Recursos Humanos – Seccional Espírito Santo (ABRH-ES) e acontece nos dias 21 e 22 de junho, no Grand Hall Vitória, no bairro Santa Luíza. Na programação, palestras, workshops, painéis, rodas de conversa, e uma feira de negócios para apresentar as novidades nas áreas de Gestão de Pessoas e desenvolvimento humano. As inscrições podem ser feitas pelo site www.abrhes.com.br.