Brasil desperdiça mais de seis Cantareiras por ano, diz estudo

“Cerca de 37% do volume de água produzido pelas empresas de saneamento é perdido por vazamentos ou intervenções clandestinas na rede de distribuição.”

Ficam os questionamentos: que empresa privada poderia agir assim sem tomar uma enxurrada de processos? E que empresa privada poderia sobreviver desperdiçando um terço do produto que vende? Agora sabemos por que estamos nesta crise, e qual é a solução.

 

Brasil desperdiça mais de seis Cantareiras por ano, diz estudo

Relatório feito com base em dados do Ministérios das Cidades mostra que as perdas de água no país causam um prejuízo de 8 bilhões de reais por ano

O total de água desperdiçada no Brasil por ano poderia encher mais de seis vezes o Sistema Cantareira, que abastece a maior parte da Região Metropolitana de São Paulo. É o que aponta um levantamento feito pelo Instituto Trata Brasil feito com dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS) de 2013 divulgados pelo Ministério das Cidades. A pesquisa aponta que as perdas de água em todo o país chegam a 6,5 bilhões de metros cúbicos, o que corresponde a um prejuízo de 8,015 bilhões de reais anualmente. Esse valor equivale a 80% dos investimentos aplicados em água e esgoto em 2013, segundo o presidente do Instituto, Edison Carlos.

“As perdas sempre foram um dos pontos frágeis dos sistemas de saneamento e das empresas que operam esses serviços, independentemente de serem públicas ou privadas. Os dados de perdas no país mostram a fragilidade da gestão de grande parte do setor”, conclui o estudo. Cerca de 37% do volume de água produzido pelas empresas de saneamento é perdido por vazamentos ou intervenções clandestinas na rede de distribuição. Essa quantidade daria para encher 7.154 piscinas olímpicas por dia ou 17,8 milhões de caixas de água de 1.000 litros cada. “É muito dinheiro para um setor que precisa investir muitos recursos para recuperar o atraso de pelo menos duas décadas, principalmente no que diz respeito ao tratamento de esgoto e à redução de perdas”, afirmou Edison Carlos.

De acordo com o relatório, a região Norte é a campeã em perdas financeiras por desperdício de água no Brasil, com taxa de 60%, enquanto que a Região Sul é a que apresenta o melhor índice, de 34%. Os Estados do Amapá e do Amazonas chegam a ter prejuízo financeiro de mais de 70% em relação à água tratada desperdiçada. Em São Paulo, as perdas financeiras ficam em torno de 32%, dentro da média do país.

Fonte: Veja

alx_imagens-do-dia-20150127-28_original

Brasil desperdiça mais de seis Cantareiras por ano, diz estudo

“Cerca de 37% do volume de água produzido pelas empresas de saneamento é perdido por vazamentos ou intervenções clandestinas na rede de distribuição.”

Ficam os questionamentos: que empresa privada poderia agir assim sem tomar uma enxurrada de processos? E que empresa privada poderia sobreviver desperdiçando um terço do produto que vende? Agora sabemos por que estamos nesta crise, e qual é a solução.

 

Brasil desperdiça mais de seis Cantareiras por ano, diz estudo

Relatório feito com base em dados do Ministérios das Cidades mostra que as perdas de água no país causam um prejuízo de 8 bilhões de reais por ano

O total de água desperdiçada no Brasil por ano poderia encher mais de seis vezes o Sistema Cantareira, que abastece a maior parte da Região Metropolitana de São Paulo. É o que aponta um levantamento feito pelo Instituto Trata Brasil feito com dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS) de 2013 divulgados pelo Ministério das Cidades. A pesquisa aponta que as perdas de água em todo o país chegam a 6,5 bilhões de metros cúbicos, o que corresponde a um prejuízo de 8,015 bilhões de reais anualmente. Esse valor equivale a 80% dos investimentos aplicados em água e esgoto em 2013, segundo o presidente do Instituto, Edison Carlos.

“As perdas sempre foram um dos pontos frágeis dos sistemas de saneamento e das empresas que operam esses serviços, independentemente de serem públicas ou privadas. Os dados de perdas no país mostram a fragilidade da gestão de grande parte do setor”, conclui o estudo. Cerca de 37% do volume de água produzido pelas empresas de saneamento é perdido por vazamentos ou intervenções clandestinas na rede de distribuição. Essa quantidade daria para encher 7.154 piscinas olímpicas por dia ou 17,8 milhões de caixas de água de 1.000 litros cada. “É muito dinheiro para um setor que precisa investir muitos recursos para recuperar o atraso de pelo menos duas décadas, principalmente no que diz respeito ao tratamento de esgoto e à redução de perdas”, afirmou Edison Carlos.

De acordo com o relatório, a região Norte é a campeã em perdas financeiras por desperdício de água no Brasil, com taxa de 60%, enquanto que a Região Sul é a que apresenta o melhor índice, de 34%. Os Estados do Amapá e do Amazonas chegam a ter prejuízo financeiro de mais de 70% em relação à água tratada desperdiçada. Em São Paulo, as perdas financeiras ficam em torno de 32%, dentro da média do país.

Fonte: Veja

alx_imagens-do-dia-20150127-28_original

×

Olá, seja bem-vindo(a)!

Entre em contato agora com nossa equipe.

× Como posso te ajudar?