Quem não pôde se inscrever para o Congresso pode também participar da Expo, a Feira do Congresso. Quem dá a dica é a Professora Neidy: “todas as palestras são gratuitas”. Confira a programação da Exposição abaixo – nossa Professora Cristiane Christo é uma das palestrantes; e logo em seguida os textos sobre o que vai rolar no Congresso (e aqui a programação completa).

Congresso estadual discute como as novas tecnologias têm transformado a Gestão de Pessoas a partir de quarta, 21

Profissionais, gestores, executivos e estudantes da área de Gestão de Pessoas se reúnem a partir de quarta-feira, 21 de junho, em Vitória, para participar do maior evento da área no Espírito Santo, o 28º Congresso Estadual de Gestão de Pessoas (CEARH). Organizado pela Associação Brasileira de Recursos Humanos – Seccional Espírito Santo (ABRH-ES), o evento terá como tema central “Mundo em Rede, Soluções em Rede” e contará com a presença de especialistas de renome nacional e internacional.

Na programação do CEARH, que segue até quinta-feira, 22, palestras, workshops, painéis, rodas de conversa, e uma feira de negócios para apresentar as novidades nas áreas de Gestão de Pessoas e desenvolvimento humano. O congresso também terá Pílulas, que serão apresentações de 15 minutos cada em que empresas capixabas compartilham experiências de seus projetos empresariais de forma simples e rápida, buscando inspirar os participantes.

A temática central do congresso foi proposta por meio de um processo de cocriação realizado com os associados da ABRH-ES. A presidente da Associação, Katia Vasconcelos, conta que foi realizado um debate produtivo com quem vive o dia a dia nas empresas e consultorias. “Durante o CEARH, iremos debater esta nova fase que estamos vivendo, que vai além do desafio tecnológico e entra no desafio humano. É um mundo em rede que traz e precisa de soluções em rede. Gerir pessoas neste contexto é despertar em cada uma o que ela tem de melhor e entender que a atuação em rede é condição para termos profissionais realizados, dispostos e engajados para contribuírem para a sustentabilidade das empresas, num mundo que vai se manter em constante transformação”, pontua.

A palestra de abertura será feita por um dos idealizadores da Agência Recife para Inovação e Estratégia – ARIES, Silvio Meira. Especialista em computação e empreendedorismo, Silvio é um dos fundadores do Porto Digital, que transformou o centro histórico do Recife num parque tecnológico e, no ARIES, ajuda a pensar em projetos para a cidade em longo prazo.

Engajamento

Uma das temáticas que estará em pauta durante o 28º CEARH será o engajamento dentro das empresas. Para falar sobre o assunto, um dos convidados é o sócio da Santo Caos – primeira consultoria de engajamento do Brasil, Jean Saldatelli, que abordará a temática em dois momentos diferentes, falando de co-criação e o voluntariado para engajar pessoas.

Segundo o palestrante, a co-criação faz as pessoas se sentirem parte do negócio, desenvolvendo uma cultura participativa e inclusiva. “A co-criação influencia no engajamento como um todo, mas principalmente em duas conexões que o compõem: pertencimento e compartilhamento. O pertencimento é a questão de se identificar e ter voz ativa. Logo, se você ajudou a desenvolver algo, você se identifica mais com aquilo, sente que faz parte e o processo é mais humanizado. Depois, no compartilhamento, que é o fato de extrapolar a relação previamente estabelecida. A co-criação faz com que a pessoa fuja do seu papel habitual, expandindo a sua atuação e sua visão da empresa. O resultado mais percebido é na inovação”, afirma o especialista.

Já na palestra “Voluntariado Estratégico: como aumentar o engajamento com seu Programa de Voluntariado”, Jean mostrará como o voluntariado pode se transformar em uma ferramenta estratégica, contribuindo de forma direta para a evolução profissional e pessoal do colaborador. “Um funcionário que participa do programa de voluntariado corporativo é, em média, 16% mais engajado que os demais. Ele aumenta a produtividade e, como consequência, a empresa tem mais lucro”, destaca.

Criatividade

Outro assunto que permeará a programação do congresso é a criatividade. No primeiro dia de evento, Luan Lima, da empresa Percepções Criativas, comandará uma roda de conversa sobre “As recompensas do desbloqueio criativo”. Ele mostrará como uma série de posicionamentos no dia a dia das empresas atrapalham os colaboradores no processo da criatividade.

“Considerar que o ambiente de trabalho precisa ser extremamente sério o tempo todo, evitar exposição por medo de falar besteira, medir produção por horas trabalhadas e acreditar que parar para pensar é perda de tempo são alguns dos comportamentos prejudiciais. O primeiro passo para tornar os colaboradores mais criativos é identificar exatamente o que atrapalha esse desempenho para, em seguida, desaprender para reaprender. É preciso desensinar coisas, fatos, bloqueios e premissas para então reensinar como fazer diferente”, explica Luan.

Já o consultor Marcelo Lage, mestre em Gestão do Conhecimento, Inovação e Dinâmica Empreendedora e fundador da Startify, ministrará um workshop sobre “Design Thinking: Além da Ferramenta”, uma técnica que tem direcionado empresários na resolução de problemas e incentivado a descoberta de novas oportunidades de negócios, produtos e serviços. “O Design Thinking é um método estruturado para ajudar as pessoas a usarem a criatividade e fazê-las sair da zona de conforto, a pensarem ‘fora da caixa’. A sua aplicação precisa ter um propósito real, buscando conexão com as partes envolvidas e visando gerar aprendizado. É algo que resulta no aumento da capacidade das organizações de inovar”, ressalta Marcelo Lage.

Inovação, Tecnologia e Relações de Trabalho

As mudanças tecnológicas dos últimos anos e seus impactos no ambiente de trabalho será outra temática que fará parte de diversos debates desta edição do CEARH. No dia 21 de junho, a palestra sobre “Novas Tecnologias para Educação Corporativa”, com o mestre em Tecnologias Educacionais e CEO da LEO Brasil, Richard Vasconcelos, abordará como a tecnologia veio facilitar o aprendizado no ambiente corporativo. “Primeiro, pela motivação do próprio colaborador, que, muitas vezes, tem de obter conhecimento para evoluir na carreira. E há ainda os benefícios para a empresa, que precisa de pessoas bem capacitadas e produtivas, e sabe que precisa investir em seus colaboradores. A questão é que as organizações esbarram em desafios como rotatividade, dispersão geográfica e escala de trabalho. É aí que o ensino à distância, com o apoio da tecnologia, muitas vezes, se torna uma opção mais viável do que o ensino presencial”.

Já os sócios fundadores da Triunica – Desenvolvimento Humano Criativo, Andressa Pinheiro e João Zaggia, comandarão um workshop sobre Gamificantion, mostrando como usar games para treinamento e desenvolvimento de pessoas. “O uso dos games por empresas vai muito além de treinar e desenvolver seus funcionários: passa pela possibilidade de aumentar o alcance de divulgação de produtos e serviços. Estamos falando da gamificação na área de comunicação e marketing e seu potencial transformador para as marcas e seus consumidores”, pontua Andressa.

Na programação de workshops do dia 22 de junho, o diretor da agência Social Performance e professor de marketing digital, Tiago de Carvalho, abordará o tema “Mídias Sociais como Canais de Relacionamento e Construção da Imagem Corporativa”. Segundo o professor, a primeira pergunta que deve ser feita ao inserir as redes sociais no dia a dia da empresa é questionar o objetivo da organização com isso.

“A boa imagem corporativa está atrelada ao ‘Como eu quero que a minha empresa seja vista?’. Esse desejo tem que ser coerente com as ações praticadas. Se eu digo para o consumidor final que tenho a entrega mais rápida da cidade, eu preciso ter a entrega mais rápida da cidade. Ao cumprir o prometido, o consumidor fica satisfeito e pode até elogiar o serviço ou produto publicamente, nas mídias sociais, inclusive. Mas, se eu não cumpro, a crise pode ser instaurada e a imagem da empresa arranhada”, explica Tiago de Carvalho.

Ainda na programação do segundo dia de evento, o Chief Creative Officer da Nexialistas, Alberto Roitman, fará a palestra “Soluções disruptivas para desenvolvimento de pessoas no mundo”. “Com as mudanças das últimas décadas, as empresas perceberam que havia a necessidade de se adotar soluções educacionais inovadoras, que alcançassem resultados de maneira mais simples, direta e econômica. São o que chamamos de soluções disruptivas. Mais fáceis de serem desenvolvidas, mais baratas e que respeitam a diversidade dos estilos de aprendizagem das pessoas. As empresas que não buscam essas soluções continuam no século passado. Não podemos mais pensar fora da caixa, mas sim jogar a caixa fora. As soluções disruptivas representam vantagens competitivas e não adotá-las é retroceder ou estagnar”.

Para falar sobre as mudanças nas relações de trabalho em um mundo cada vez mais conectado, o convidado é o presidente da Sociedade Brasileira de Teletrabalho e Teleatividades e diretor jurídico da ABRH-Brasil, Wolnei Ferreira. “A tecnologia está mudando radicalmente o mundo do trabalho, pois as novas técnicas de comunicação e informação estão fazendo com que tempo e espaço estejam iguais em todo o mundo. Tudo acontece a todo momento em qualquer lugar. As comunicações são mais velozes, não há mais diferença de localidade, avanços são de conhecimento geral e as práticas de Inteligência Artificial e Robótica estão transformando toda a relação capital x trabalho”, comenta.

Uma dessas mudanças será abordada na roda de conversa “Home Office: Mitos e Verdades de uma boa estratégia para empresas e pessoas” com o sócio fundador da empresa HOM – Home Office Management, Tawan Pimentel. Para ele, este novo modelo traz diversas vantagens tanto para o empregado quanto para a empresa.

“As pessoas têm um maior equilíbrio entre a vida pessoal e profissional, com redução de estresse e doenças relacionadas às grandes metrópoles, além de aumentar a autonomia e a flexibilidade, gerar autodesenvolvimento profissional e pessoal e aumentar a produtividade, entre outros. Já as empresas, têm colaboradores mais motivados e menos cansados, melhoria do clima organizacional e melhoria na gestão. O home office ainda torna-se um ótimo benefício para contratar ou reter talentos, diminui o índice de turnover, diminui o índice de absenteísmo, gera economia com otimização de espaços e diminuição dos custo fixos, gera acessibilidade e aumenta a sustentabilidade”.

Liderança

A liderança no mundo atual também está na pauta do 28º CEARH. Uma das convidadas para falar sobre o assunto é a coach, escritora e sócia-diretora da Pro-Fit Coach e Treinamento, Eliana Dutra, que ministrará a palestra “Liderança: O Que o Futuro nos Reserva?”. Especialista experiente em desenvolvimento de líderes, empresários e herdeiros, ela afirma que o perfil de liderança desejado agora é outro, acompanhando uma mudança de postura dos próprios consumidores.

“A indústria, o mercado e os clientes mudaram. Hoje, o que faz um consumidor decidir por uma compra ou um serviço não é mais a qualidade. O que faz a diferença é o atendimento na loja, a assistência recebida. Com isso, a necessidade das empresas se tornou outra, transformando assim o estilo de liderança. Antes bastava cumprir ordem. Hoje, isso não funciona. E o líder tem que aprender a fazer de forma diferente para não perder os seus melhores talentos e, consequentemente, ter uma menor satisfação do cliente. Você precisa de pessoas com iniciativa, que criem e que inovem”, pontua Eliana.

Já o professor, escritor e um dos maiores especialistas em Gestão de Mudanças do Brasil, Marcelo de Elias, comandará um workshop com o tema “Gerindo mudanças e liderando as inovações”. O especialista pontua que, para impulsionar a inovação em sua equipe, o líder precisa se desafiar. “Isso significa romper alguns pressupostos e questionar antigas formas de pensar. Mas, certamente, uma das maiores barreiras para a inovação em equipes é o excesso de respeito às hierarquias. Quando o funcionário se sente como um seguidor de ordens ele age obedientemente às orientações do chefe, sem questionar e sem pensar fora da caixa. Então, uma das ações eficazes do líder é incentivar a participação e o pensamento divergente, pois, assim, as iniciativas de inovação são impulsionadas”, comenta.

Para encerrar o evento, o Psicólogo organizacional e professor da Fundação Getulio Vargas (FGV), Flávio Costa, fala sobre “Liderança Positiva para uma nova Gestão com Pessoas”. “A Liderança Positiva, muito mais do que apenas uma nova abordagem sobre liderança, é um conjunto de conceitos e práticas científicas que tem revolucionado os métodos de se fazer gestão de pessoas. A nova proposta, além de reforçar a estratégia, sugere que se adote um padrão atitudinal recorrente e rotineiro, complementado com uma ênfase comportamental diferenciada no que diz respeito à atenção dada às emoções que vivemos. De forma prática, o que se destaca é um modelo de gerir pessoas e empresas com foco estratégico no reconhecimento, na valorização e na promoção de emoções e aspectos positivos que permitam a potencialização do ser humano, das equipes e, consequentemente, das instituições”.

Empatia

A programação de quinta-feira também discutirá um pouco mais sobre a empatia. Quem falará sobre o assunto é a bióloga de formação e fundadora do projeto A Revolução da Empatia, Tati Fukamati. Durante a palestra “Por que a empatia é uma das principais competências do futuro?”, Tati falará como é importante o exercício da empatia no dia a dia e como é possível desenvolve-la nas pessoas.

“Apesar de já nascermos empáticos, é preciso exercitar a empatia ao longo da vida assim como qualquer outra competência ou habilidade. Antes da era da internet, do excesso de trabalho, da vida nas grandes cidades, a empatia fazia parte da vida de forma mais natural. A gente conversava mais olhando no olho, tinha mais tempo para estar em comunidade, não precisava correr tanto e reparar tão pouco nos outros. Algum nível de empatia era essencial. Hoje, dá pra sobreviver mais “facilmente” ao dia a dia sem ser empático. Mas isso não traz felicidade, nem do ponto de vista individual e nem do ponto de vista coletivo. Por isso precisamos lembrar da empatia e exercitar cada vez mais”, pontua.

 

SERVIÇO

28º CEARH – Congresso Estadual de Gestão de Pessoas

Local: Vitória Grand Hall – Rua Dr. João Carlos de Souza – Santa Luíza, Vitória

Data: 21 e 22 de junho

Horário: 8h às 17h30

Programação e inscrição: www.abrhes.org.br

Mais informações: (27) 3225-0886.