Espírito Santo é o Estado com mais estudantes ultra inteligentes, aponta pesquisa

O Espírito Santo é o Estado com maior percentual de alunos ultra inteligentes do País, de acordo com pesquisa divulgada nesta terça-feira (3). Paraná e Rio Grande do Norte seguem logo atrás. As informações são da revista Exame.

Dentro da realidade brasileira, eles são os que apresentam maior porcentagem do que a OCDE, grupo de nações ricas, chama de “top perfomers” no Pisa, teste internacional de educação divulgado hoje: cerca de 2 em cada 100 estudantes nessas unidades da federação entram nesta categoria quando se trata de matemática.

Segundo a OCDE, os “top performers” são capazes de “desenvolver e trabalhar com modelos de situações complexas, e trabalhar estrategicamente usando habilidades amplas, bem desenvolvidas de pensamento e raciocínio”.

Uma realidade cotidiana para apenas 0,8% dos estudantes brasileiros, na média. São, assim, uma exceção em um país onde quase 70% dos estudantes têm performance baixa e conseguem fazer apenas o elementar.

Para estar no topo, os alunos precisaram se situar entre os níveis 5 e 6 – o último – no Pisa 2012. Um dos mais importantes testes comparativos internacionais, ele é feito por alunos com cerca de 15 anos. No Brasil, quase 20 mil fizeram o teste nesta última edição.

Ficará triste, porém, quem comparar qualquer um dos números vistos nas imagens a seguir com a elite internacional. A categoria dos ultra inteligentes chega a 40% dos alunos de Singapura, 30,9% da Coreia do Sul e entre 15 e 25% em nações como Alemanha e Finlândia.

Os desempenhos se referem aos seguintes grupos no Pisa:

Muito alto (ultra inteligentes – níveis 5 e 6)
Alto (nível 4)
Regular (níveis 2 e 3)
Baixo (Nível 1 ou abaixo disso)
Em casos de empate, venceram os estados com menor percentual de alunos de desempenho baixo.

Estado alcança a maior pontuação no Pisa

No Brasil, o Estado que teve a maior pontuação na prova de 2012 do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa, na sigla em inglês) foi o Espírito Santo, que alcançou média geral de 423,3 pontos, ganhando cinco posições no ranking em relação aos números de 2009, quando teve 406 pontos e ficou na 9ª posição. Os alunos capixabas obtiveram a maior média de Ciências (428), a terceira melhor de Matemática (414) e a quarta melhor em Leitura (427 pontos). Os números são superiores ao da pontuação nacional (402,3 pontos na média geral). Os estudantes brasileiros tiveram 411 pontos em Leitura, 405 em Ciência, e 391 em Matemática.

Na sequência geral dos melhores desempenhos de 2012 por Unidade da Federação, aparecem Distrito Federal (422,1 pontos) e Rio Grande do Sul (419,7 pontos). Os alunos do Distrito Federal tiveram a melhor nota em Matemática (416), a segunda melhor em Ciência (423) e a segunda melhor em Leitura (428). Os estudantes gaúchos têm a melhor média em Leitura (433), a quarta melhor em Ciência (419) e a quinta em Matemática (407).

São Paulo fica na 7ª posição, com 414,2 pontos, ante 408 pontos em 2009, quando também estava na sétima posição. Em Matemática, os alunos paulistas tiveram 404 pontos, em Ciência, 417 pontos e em Leitura 422 pontos. No Centro-Oeste, o destaque é o Mato Grosso do Sul, que obteve 416,9 pontos, na quinta posição, ante 402 pontos em 2009 (9ª posição). Os alunos sul mato-grossenses conseguiram 428 pontos em Redação, 415 em Ciência, e 408 em Matemática.

Fonte: Gazeta Online

Espírito Santo é o Estado com mais estudantes ultra inteligentes, aponta pesquisa

O Espírito Santo é o Estado com maior percentual de alunos ultra inteligentes do País, de acordo com pesquisa divulgada nesta terça-feira (3). Paraná e Rio Grande do Norte seguem logo atrás. As informações são da revista Exame.

Dentro da realidade brasileira, eles são os que apresentam maior porcentagem do que a OCDE, grupo de nações ricas, chama de “top perfomers” no Pisa, teste internacional de educação divulgado hoje: cerca de 2 em cada 100 estudantes nessas unidades da federação entram nesta categoria quando se trata de matemática.

Segundo a OCDE, os “top performers” são capazes de “desenvolver e trabalhar com modelos de situações complexas, e trabalhar estrategicamente usando habilidades amplas, bem desenvolvidas de pensamento e raciocínio”.

Uma realidade cotidiana para apenas 0,8% dos estudantes brasileiros, na média. São, assim, uma exceção em um país onde quase 70% dos estudantes têm performance baixa e conseguem fazer apenas o elementar.

Para estar no topo, os alunos precisaram se situar entre os níveis 5 e 6 – o último – no Pisa 2012. Um dos mais importantes testes comparativos internacionais, ele é feito por alunos com cerca de 15 anos. No Brasil, quase 20 mil fizeram o teste nesta última edição.

Ficará triste, porém, quem comparar qualquer um dos números vistos nas imagens a seguir com a elite internacional. A categoria dos ultra inteligentes chega a 40% dos alunos de Singapura, 30,9% da Coreia do Sul e entre 15 e 25% em nações como Alemanha e Finlândia.

Os desempenhos se referem aos seguintes grupos no Pisa:

Muito alto (ultra inteligentes – níveis 5 e 6)
Alto (nível 4)
Regular (níveis 2 e 3)
Baixo (Nível 1 ou abaixo disso)
Em casos de empate, venceram os estados com menor percentual de alunos de desempenho baixo.

Estado alcança a maior pontuação no Pisa

No Brasil, o Estado que teve a maior pontuação na prova de 2012 do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa, na sigla em inglês) foi o Espírito Santo, que alcançou média geral de 423,3 pontos, ganhando cinco posições no ranking em relação aos números de 2009, quando teve 406 pontos e ficou na 9ª posição. Os alunos capixabas obtiveram a maior média de Ciências (428), a terceira melhor de Matemática (414) e a quarta melhor em Leitura (427 pontos). Os números são superiores ao da pontuação nacional (402,3 pontos na média geral). Os estudantes brasileiros tiveram 411 pontos em Leitura, 405 em Ciência, e 391 em Matemática.

Na sequência geral dos melhores desempenhos de 2012 por Unidade da Federação, aparecem Distrito Federal (422,1 pontos) e Rio Grande do Sul (419,7 pontos). Os alunos do Distrito Federal tiveram a melhor nota em Matemática (416), a segunda melhor em Ciência (423) e a segunda melhor em Leitura (428). Os estudantes gaúchos têm a melhor média em Leitura (433), a quarta melhor em Ciência (419) e a quinta em Matemática (407).

São Paulo fica na 7ª posição, com 414,2 pontos, ante 408 pontos em 2009, quando também estava na sétima posição. Em Matemática, os alunos paulistas tiveram 404 pontos, em Ciência, 417 pontos e em Leitura 422 pontos. No Centro-Oeste, o destaque é o Mato Grosso do Sul, que obteve 416,9 pontos, na quinta posição, ante 402 pontos em 2009 (9ª posição). Os alunos sul mato-grossenses conseguiram 428 pontos em Redação, 415 em Ciência, e 408 em Matemática.

Fonte: Gazeta Online