Dicas para se preparar após a publicação do edital

Muitos concursos já saíram este ano como é o caso do Ministério da Fazenda e da Caixa Econômica e outros ainda terão o edital publicado. Para este ano, há previsão de concurso para Polícia Federal e Correios, por exemplo.

E para se dar bem nesses certames, é preciso estudar. Na opinião do diretor do site Questões de Concursos, Fernando Bentes, a leitura minuciosa do edital é importante, pois é necessário entender o que ele pede, destacando os itens mais importantes. Isso ajudará o candidato a não perder tempo.

“Continue fazendo exercícios de provas anteriores. Foque nos conteúdos novos do edital, mas separe um tempo para os conteúdos já estudados. Não existe técnica melhor, comprovada por pesquisas, do que o treinamento por questões anteriores”, disse.

Algumas dicas
Manter o foco
A primeira pergunta a ser feita é: esse edital é da minha área de interesse? Eu já estava estudando essas matérias?
Por melhor que sejam as oportunidades, se você vai sair do zero, estará no fim de uma fila e as chances são pequenas em relação aos que já vinham se preparando. E corre o risco de daqui a pouco sair um edital da sua área, e você estar fora da sua fila, envolvido em uma tarefa com pequena probabilidade de sucesso.

Mas, se o concurso for da área para a qual você já estava se preparando, a segunda pergunta é: já vi boa parte do conteúdo? Caso contrário, vamos cair na situação acima. Claro que é possível dar uma arrancada entre o edital e a prova, e isso pode ser útil para alavancar o estudo. Desde que, caso não seja aprovado, o candidato siga estudando para estar em melhores condições na próxima oportunidade.

De toda forma, é importante observar, com isenção, se não seria mais produtivo deixar o edital passar para se preparar com qualidade para o seguinte. De modo geral, o candidato fica ansioso e quer participar de qualquer jeito, contando um pouco com a sorte. É uma decisão pessoal.

Todo o tempo do mundo
Se preparação para concurso é uma maratona, o período entre o edital e a prova é corrida de velocidade. É um prazo relativamente curto – não passa de dois meses – e todas as forças devem ser concentradas para aumentar as chances de aprovação.

Assim, é o momento de adiar tudo o que não estiver relacionado ao estudo (exceto o que realmente for importante ou urgente), delegar tarefas e, se o candidato estiver trabalhando e for possível, tirar férias para aumentar o número de horas de estudo.

Mesmo nesse período o equilíbrio é importante para que o candidato não fique exausto e perda qualidade no estudo.

Reprogramar

A publicação do edital muda completamente a dinâmica de estudo. Antes do edital, o candidato estuda todas as disciplinas, aprofundando aos poucos e lapidando o conhecimento com calma. Edital publicado significa que nem sempre haverá tempo para o candidato ficar pronto, por isso é preciso ter uma boa estratégia para saber o que e como estudar até o dia da prova.

A primeira providência é examinar atentamente o edital para saber se há matérias ou tópicos novos e que nunca foram estudados. Atenção, porque muitas vezes os assuntos de uma disciplina ficam sob o título de outra (por exemplo, matemática financeira no tópico de matemática) e em alguns casos o nome da disciplina é mantido, mas o conteúdo cobrado sofre muitas alterações.

Por outro lado, assuntos que estavam na programação de estudo podem ter sido excluídos do novo edital e deve ser abandonados pelo candidato.

Depois disso, é preciso contar o número de dias e semanas até a prova e fazer uma nova distribuição de tempo pelas disciplinas. Matérias que já foram bem estudadas devem ser apenas revisadas pelo material previamente elaborado. Disciplinas específicas ou surpresas do edital – tópicos ou matérias inteiras que tenham sido incluídas – têm prioridade de tempo, porque são novidade para o candidato. O mesmo acontece com matérias em que o candidato ainda tenha muita dificuldade.

Outros fatores que interferem no tempo a ser dedicado a cada disciplina até a data da prova são: o número de pontos que ela representará na prova, se virá isolada ou agrupada com outras e a pontuação mínima exigida para que o candidato não seja eliminado.

Provas anteriores da banca

Mesmo que não dê tempo para estudar tudo, é essencial que o candidato resolva provas de concursos anteriores da banca organizadora do concurso. Isso dá uma referência de como o conteúdo é cobrado, do tipo de questões que a instituição costuma fazer e dos assuntos mais frequentes.

Com essas informações, o candidato pode trabalhar as arestas e ficar mais seguro no dia da prova, o que é uma vantagem relevante.

Requisitos e local das vagas
Nunca é demais lembrar que o edital deve ser lido integralmente, para que o candidato conheça exatamente as regras do seu concurso e não tenha surpresas depois.

Nesse sentido, são informações básicas para que o candidato decida se deseja e pode participar daquele concurso: o número e o local das vagas (ou se não há vagas imediatas e o concurso é para cadastro de reserva), os requisitos necessários para o cargo, a remuneração oferecida e as atribuições que terá, caso seja aprovado.

Retorno à maratona
Caso o resultado da prova não seja favorável, o candidato deve voltar aos estudos – em ritmo de maratona outra vez – para melhorar a preparação e estar pronto para um novo edital.

Mesmo que tenha sido aprovado, pode ser interessante seguir estudando para manter a excelência e ser aprovado em novas oportunidades. Isso porque o prazo de validade dos concursos pode ser longo (dois anos, podendo ser prorrogado por mais dois) e cabe à administração decidir quando convocar o candidato. Assim, quanto mais aprovações, maiores são as chances de se tornar logo um servidor público.

Lia Salgado, colunista do G1, é fiscal de rendas do município do Rio de Janeiro, consultora em concursos públicos e autora do livro “Como vencer a maratona dos concursos públicos”

Dicas para se preparar após a publicação do edital

Muitos concursos já saíram este ano como é o caso do Ministério da Fazenda e da Caixa Econômica e outros ainda terão o edital publicado. Para este ano, há previsão de concurso para Polícia Federal e Correios, por exemplo.

E para se dar bem nesses certames, é preciso estudar. Na opinião do diretor do site Questões de Concursos, Fernando Bentes, a leitura minuciosa do edital é importante, pois é necessário entender o que ele pede, destacando os itens mais importantes. Isso ajudará o candidato a não perder tempo.

“Continue fazendo exercícios de provas anteriores. Foque nos conteúdos novos do edital, mas separe um tempo para os conteúdos já estudados. Não existe técnica melhor, comprovada por pesquisas, do que o treinamento por questões anteriores”, disse.

Algumas dicas
Manter o foco
A primeira pergunta a ser feita é: esse edital é da minha área de interesse? Eu já estava estudando essas matérias?
Por melhor que sejam as oportunidades, se você vai sair do zero, estará no fim de uma fila e as chances são pequenas em relação aos que já vinham se preparando. E corre o risco de daqui a pouco sair um edital da sua área, e você estar fora da sua fila, envolvido em uma tarefa com pequena probabilidade de sucesso.

Mas, se o concurso for da área para a qual você já estava se preparando, a segunda pergunta é: já vi boa parte do conteúdo? Caso contrário, vamos cair na situação acima. Claro que é possível dar uma arrancada entre o edital e a prova, e isso pode ser útil para alavancar o estudo. Desde que, caso não seja aprovado, o candidato siga estudando para estar em melhores condições na próxima oportunidade.

De toda forma, é importante observar, com isenção, se não seria mais produtivo deixar o edital passar para se preparar com qualidade para o seguinte. De modo geral, o candidato fica ansioso e quer participar de qualquer jeito, contando um pouco com a sorte. É uma decisão pessoal.

Todo o tempo do mundo
Se preparação para concurso é uma maratona, o período entre o edital e a prova é corrida de velocidade. É um prazo relativamente curto – não passa de dois meses – e todas as forças devem ser concentradas para aumentar as chances de aprovação.

Assim, é o momento de adiar tudo o que não estiver relacionado ao estudo (exceto o que realmente for importante ou urgente), delegar tarefas e, se o candidato estiver trabalhando e for possível, tirar férias para aumentar o número de horas de estudo.

Mesmo nesse período o equilíbrio é importante para que o candidato não fique exausto e perda qualidade no estudo.

Reprogramar

A publicação do edital muda completamente a dinâmica de estudo. Antes do edital, o candidato estuda todas as disciplinas, aprofundando aos poucos e lapidando o conhecimento com calma. Edital publicado significa que nem sempre haverá tempo para o candidato ficar pronto, por isso é preciso ter uma boa estratégia para saber o que e como estudar até o dia da prova.

A primeira providência é examinar atentamente o edital para saber se há matérias ou tópicos novos e que nunca foram estudados. Atenção, porque muitas vezes os assuntos de uma disciplina ficam sob o título de outra (por exemplo, matemática financeira no tópico de matemática) e em alguns casos o nome da disciplina é mantido, mas o conteúdo cobrado sofre muitas alterações.

Por outro lado, assuntos que estavam na programação de estudo podem ter sido excluídos do novo edital e deve ser abandonados pelo candidato.

Depois disso, é preciso contar o número de dias e semanas até a prova e fazer uma nova distribuição de tempo pelas disciplinas. Matérias que já foram bem estudadas devem ser apenas revisadas pelo material previamente elaborado. Disciplinas específicas ou surpresas do edital – tópicos ou matérias inteiras que tenham sido incluídas – têm prioridade de tempo, porque são novidade para o candidato. O mesmo acontece com matérias em que o candidato ainda tenha muita dificuldade.

Outros fatores que interferem no tempo a ser dedicado a cada disciplina até a data da prova são: o número de pontos que ela representará na prova, se virá isolada ou agrupada com outras e a pontuação mínima exigida para que o candidato não seja eliminado.

Provas anteriores da banca

Mesmo que não dê tempo para estudar tudo, é essencial que o candidato resolva provas de concursos anteriores da banca organizadora do concurso. Isso dá uma referência de como o conteúdo é cobrado, do tipo de questões que a instituição costuma fazer e dos assuntos mais frequentes.

Com essas informações, o candidato pode trabalhar as arestas e ficar mais seguro no dia da prova, o que é uma vantagem relevante.

Requisitos e local das vagas
Nunca é demais lembrar que o edital deve ser lido integralmente, para que o candidato conheça exatamente as regras do seu concurso e não tenha surpresas depois.

Nesse sentido, são informações básicas para que o candidato decida se deseja e pode participar daquele concurso: o número e o local das vagas (ou se não há vagas imediatas e o concurso é para cadastro de reserva), os requisitos necessários para o cargo, a remuneração oferecida e as atribuições que terá, caso seja aprovado.

Retorno à maratona
Caso o resultado da prova não seja favorável, o candidato deve voltar aos estudos – em ritmo de maratona outra vez – para melhorar a preparação e estar pronto para um novo edital.

Mesmo que tenha sido aprovado, pode ser interessante seguir estudando para manter a excelência e ser aprovado em novas oportunidades. Isso porque o prazo de validade dos concursos pode ser longo (dois anos, podendo ser prorrogado por mais dois) e cabe à administração decidir quando convocar o candidato. Assim, quanto mais aprovações, maiores são as chances de se tornar logo um servidor público.

Lia Salgado, colunista do G1, é fiscal de rendas do município do Rio de Janeiro, consultora em concursos públicos e autora do livro “Como vencer a maratona dos concursos públicos”