Carreira: as 10 cidades mais atrativas para jovens profissionais

Ranking foi feito pelo LinkedIn com dados sobre migração entre seus usuários em 2013

Para os recém-graduados, um diploma muitas vezes vem com a difícil decisão de arrumar as malas e se mudar para uma nova cidade. Algumas delas, como Nova York ou Londres, são conhecidamente ímãs de talentos para grandes corporações. No entanto, levantamento do LinkedIn mostra que nem todas são tão óbvias. O LinkedIn Insights, que analisa os dados da rede social e traça tendências, estudou os padrões de migração de seus usuários no ano passado para determinar as dez principais cidades de destino para jovens profissionais.

A pesquisa, publicada nesta quarta-feira no blog oficial do LinkedIn, aponta, ainda, de onde os recém-formados vieram e que companhias, em cada uma das cidades, mais contrataram esses profissionais. Paris encabeça o ranking — 42% dos novos residentes acabaram de sair dos bancos das faculdades. Na última posição, aparece a única cidade brasileira da lista: São Paulo, onde 34% dos que chegaram estão ingressando no mercado de trabalho.

Confira as cidades

Paris, França

42% dos novos residentes de Paris são jovens profissionais recém-formados. Eles se mudaram principalmente das cidades francesas de Lyon, Lille, Marseille, Bordeaux e Toulouse, e também de Londres e Nova York, contratados por empresas como BNP Paribas, L’Oréal e LVMH.

Washington DC, EUA

Na capital dos Estados Unidos, 40% dos que chegaram em 2013 são recém-formados. Os profissionais vieram de cidades americanas, como Nova York, Boston e Filadélfia, além de outras dos estados de Virginia e Carolina do Norte, para trabalhar principalmente nos ministérios de Saúde e de Defesa e no Banco Mundial.

Mineápolis, EUA

40% dos que se mudaram para a cidade em 2013 estão ingressando no mercado de trabalho. Os profissionais vieram principalmente de cidades como Duluth, no estado de Minnesota, Chicago (Illinois) e Madison e La Crosse (Wiscosin), para trabalhar em companhias como Target, 3M e General Mills.

Madri, Espanha

Os jovens talentos também representam, em Madri, 40% dos novos moradores. Eles migraram de outras cidades da Espanha, como Barcelona, Valência, Sevilla e Bilbao, além de Londres, no Reino Unido. As companhias que mais contrataram esses profissionais foram Telefónica, Deloitte, PWC, BBVA e Accenture.

Nova York, EUA

Segundo a pesquisa, 38% dos novos residentes de Nova York são recém-formados. Eles vieram de outras cidades americanas, como Boston, Washington, Chicago, San Francisco e Los Angeles. Os principais empregadores foram os bancos JP Morgan, Goldman Sachs, Morgan Stanley e Citi, além da IBM.

Chicago, EUA

Em Chicago, 38% dos novos moradores são profissionais recém-formados. Eles migraram de cidades como Nova York, Detroit, Urbana-Champagne (no estado de Illinois) e Boston. Os principais empregadores de jovens em Chicago são Deloitte, Accenture, PWC, Ernst & Young e Groupon.

Londres, Reino Unido

Em Londres, os jovens profissionais representam 35% dos novos moradores, segundo a pesquisa do LinkedIn. Suas principais cidades de origem são: Paris, Manchester, Nova York e Madri. As companhias que mais empregaram os recém-formados são os bancos Barclays Bank, JP Morgan, HSBC e Goldman Sachs e a consultoria KPMG.

São Francisco

Vindos de outras cidades americanas, especialmente de Los Angeles, Nova York, Boston e San Diego, os jovens profissionais representam 34% dos novos residentes de São Francisco. Os principais empregadores são, todos, gigantes da tecnologia: Google, Oracle, Apple, Cisco e Facebook.

Bangalore, Índia

Em Bangalore, 34% dos novos residentes são profissionais recém-formados, que vieram de outras cidades indianas, como Nova Delhi, Hyderabad, Chenai e Mumbai. Os principais empregadores de jovens de Bangalore são Wipro, Tata Consultancy Services e Infosys.

São Paulo, Brasil

Em São Paulo, os jovens talentos representam 34% dos novos moradores. Os que migram para a capital paulista vêm, segundo a pesquisa, das cidades brasileiras de Rio, Curitiba, Belo Horizonte e Porto Alegre, e também Nova York, Londres e Paris. Os principais empregadores são Itaú, AB Inbev, Telefónica, HSBC e GE.

 Fonte: O Globo

Carreira: as 10 cidades mais atrativas para jovens profissionais

Ranking foi feito pelo LinkedIn com dados sobre migração entre seus usuários em 2013

Para os recém-graduados, um diploma muitas vezes vem com a difícil decisão de arrumar as malas e se mudar para uma nova cidade. Algumas delas, como Nova York ou Londres, são conhecidamente ímãs de talentos para grandes corporações. No entanto, levantamento do LinkedIn mostra que nem todas são tão óbvias. O LinkedIn Insights, que analisa os dados da rede social e traça tendências, estudou os padrões de migração de seus usuários no ano passado para determinar as dez principais cidades de destino para jovens profissionais.

A pesquisa, publicada nesta quarta-feira no blog oficial do LinkedIn, aponta, ainda, de onde os recém-formados vieram e que companhias, em cada uma das cidades, mais contrataram esses profissionais. Paris encabeça o ranking — 42% dos novos residentes acabaram de sair dos bancos das faculdades. Na última posição, aparece a única cidade brasileira da lista: São Paulo, onde 34% dos que chegaram estão ingressando no mercado de trabalho.

Confira as cidades

Paris, França

42% dos novos residentes de Paris são jovens profissionais recém-formados. Eles se mudaram principalmente das cidades francesas de Lyon, Lille, Marseille, Bordeaux e Toulouse, e também de Londres e Nova York, contratados por empresas como BNP Paribas, L’Oréal e LVMH.

Washington DC, EUA

Na capital dos Estados Unidos, 40% dos que chegaram em 2013 são recém-formados. Os profissionais vieram de cidades americanas, como Nova York, Boston e Filadélfia, além de outras dos estados de Virginia e Carolina do Norte, para trabalhar principalmente nos ministérios de Saúde e de Defesa e no Banco Mundial.

Mineápolis, EUA

40% dos que se mudaram para a cidade em 2013 estão ingressando no mercado de trabalho. Os profissionais vieram principalmente de cidades como Duluth, no estado de Minnesota, Chicago (Illinois) e Madison e La Crosse (Wiscosin), para trabalhar em companhias como Target, 3M e General Mills.

Madri, Espanha

Os jovens talentos também representam, em Madri, 40% dos novos moradores. Eles migraram de outras cidades da Espanha, como Barcelona, Valência, Sevilla e Bilbao, além de Londres, no Reino Unido. As companhias que mais contrataram esses profissionais foram Telefónica, Deloitte, PWC, BBVA e Accenture.

Nova York, EUA

Segundo a pesquisa, 38% dos novos residentes de Nova York são recém-formados. Eles vieram de outras cidades americanas, como Boston, Washington, Chicago, San Francisco e Los Angeles. Os principais empregadores foram os bancos JP Morgan, Goldman Sachs, Morgan Stanley e Citi, além da IBM.

Chicago, EUA

Em Chicago, 38% dos novos moradores são profissionais recém-formados. Eles migraram de cidades como Nova York, Detroit, Urbana-Champagne (no estado de Illinois) e Boston. Os principais empregadores de jovens em Chicago são Deloitte, Accenture, PWC, Ernst & Young e Groupon.

Londres, Reino Unido

Em Londres, os jovens profissionais representam 35% dos novos moradores, segundo a pesquisa do LinkedIn. Suas principais cidades de origem são: Paris, Manchester, Nova York e Madri. As companhias que mais empregaram os recém-formados são os bancos Barclays Bank, JP Morgan, HSBC e Goldman Sachs e a consultoria KPMG.

São Francisco

Vindos de outras cidades americanas, especialmente de Los Angeles, Nova York, Boston e San Diego, os jovens profissionais representam 34% dos novos residentes de São Francisco. Os principais empregadores são, todos, gigantes da tecnologia: Google, Oracle, Apple, Cisco e Facebook.

Bangalore, Índia

Em Bangalore, 34% dos novos residentes são profissionais recém-formados, que vieram de outras cidades indianas, como Nova Delhi, Hyderabad, Chenai e Mumbai. Os principais empregadores de jovens de Bangalore são Wipro, Tata Consultancy Services e Infosys.

São Paulo, Brasil

Em São Paulo, os jovens talentos representam 34% dos novos moradores. Os que migram para a capital paulista vêm, segundo a pesquisa, das cidades brasileiras de Rio, Curitiba, Belo Horizonte e Porto Alegre, e também Nova York, Londres e Paris. Os principais empregadores são Itaú, AB Inbev, Telefónica, HSBC e GE.

 Fonte: O Globo