As ações da Biomedicina não param! No final do mês de agosto, a equipe, sob orientação da Professora Mariana Magalhães Marchesi, participou de eventos voltados à saúde da população e a orientação profissional.

No dia 28 de agosto os estudantes estiveram presentes na Escola Crescer PHD, na praia do Canto, em Vitória. A Professora Mariana Marchesi apresentou a graduação, explicando sua estrutura curricular, áreas de atuação e os principais desafios enfrentados pelo profissional. Os alunos do Colégio também puderam conhecer os equipamentos utilizados por nossos estudantes da Biomedicina, como o microscópio e as lâminas de hematologia, parasitologia e microbiologia.

Além disso, nossos estudantes da Biomedicina tiveram a oportunidade de entrar em ação, sob a orientação da Professora, realizando atividades de promoção à saúde, por meio de aferição de Pressão Arterial e do Índice de Massa Corporal (IMC) nos alunos da escola.

Já no dia 31 de agosto os acadêmicos participaram de uma ação de responsabilidade social, preparada para os moradores do bairro Jardim Camburi. O evento foi organizado pela Pró-Vidas Transplantes e hepatite – Associação de Pacientes da Fila de Transplantados e com Hepatites Virais do Espírito Santo.

Nossos estudantes entraram em ação, sob orientação da Professora Mariana Marchesi, realizando testes de Hepatite C nos moradores da região, com o objetivo de incentivar a prevenção e o diagnóstico precoce. Foram realizados mais de 300 atendimentos.

Parabéns, Professora e alunos!

Associação Pró-vidas Transplantes e Hepatites: a Associação Pró-vidas Transplantes e Hepatites é uma organização sem fins lucrativos, criada em 2007, por um grupo de pacientes, tendo como objetivos contribuir para o aumento das doações de órgãos e tecidos no Espírito Santo; melhorar o atendimento a esses pacientes e incentivar a prevenção, o diagnóstico precoce e o tratamento dos fatores de risco que levam pessoas às filas de transplantes. Mais informações acesse: https://bit.ly/2Cf4zD4

Hepatite C: a hepatite C é uma inflamação do fígado por um vírus, que na grande maioria dos casos acaba evoluindo para doença crônica. Os paciente com hepatite C crônica podem permanecer sem apresentar sintomas durante anos, ou após algum tempo, podem apresentar sintomas como pele e olhos amarelados. Vale ressaltar que como ainda não existe vacina para hepatite C a única forma de prevenção da doença é evitar suas formas de transmissão. Para saber mais sobre o assunto clique aqui.