Acordo ortográfico passa a valer em 2016

Agora é pra valer! Após um período de adaptação de seis anos, o acordo que padroniza a ortografia em sete países falantes da língua portuguesa está, finalmente, em vigor no Brasil. As novas regras serão exigidas em documentos oficiais, exames e provas, e também devem ser colocadas em prática no nosso dia a dia. Palavras escritas na antiga grafia da língua serão consideradas incorretas a partir de agora.

Criado em 2008, o acordo ortográfico tem como objetivo facilitar a comunicação entre países que tenham o Português como língua oficial, como Moçambique, Angola, Brasil e Portugal. Para refrescar a memória e começar a colocar as novas regras em prática, veja agora algumas das principais mudanças na grafia das palavras:

Trema

O uso do trema foi abolido para todas as palavras.

 

Uso correto dos acentos

– Palavras terminadas em ÔO(S) ou ÊEM perdem o acento circunflexo.

Ex: voo(s) e creem.

Obs: Os plurais dos verbos TER e VIR mantêm o acento (Ex: elas vêm).

 

– Ditongos abertos ÉI e ÓI em palavras paroxítonas perdem o acento agudo.

Ex: Ideia e assembleia.

Obs: O acento permanece nas oxítonas e em palavras com uma única sílaba.

 

– Vogal tônica do hiato formado com ditongo decrescente perde o acento agudo.

Ex: feiura.

Obs: O acento permanece se o ditongo não é decrescente (Ex: saída).

 

– Palavras homônimas perdem o acento diferencial.

Ex: para e polo.

Obs: O verbo PÔR e a palavra PÔDE mantêm o acento.

 

Uso correto do hífen

Cai o uso do hífen em:

 

– Palavras compostas por elementos de conexão.

Ex: Mão-de-obra fica mão de obra e dia-a-dia fica dia a dia.

 

– Palavras derivadas com prefixos dissílabos terminados em vogal, desde que a palavra seguinte não comece por H ou pela mesma vogal do final do prefixo.

Ex: autorretrato e contraindicação.

Obs: Palavras compostas que sejam topônimos (indicam localidades) ou adjetivos pátrios não perdem o hífen (Ex: sul-africano e norte-americano). – Palavras derivadas com prefixo CO. Ex: cofundador e coprodução.

– Palavras que comecem com o advérbio NÃO.

Ex: não fumante e não violência.

acordo-ortografico-passa-valer-2016-noticias

Fonte: Universia

Acordo ortográfico passa a valer em 2016

Agora é pra valer! Após um período de adaptação de seis anos, o acordo que padroniza a ortografia em sete países falantes da língua portuguesa está, finalmente, em vigor no Brasil. As novas regras serão exigidas em documentos oficiais, exames e provas, e também devem ser colocadas em prática no nosso dia a dia. Palavras escritas na antiga grafia da língua serão consideradas incorretas a partir de agora.

Criado em 2008, o acordo ortográfico tem como objetivo facilitar a comunicação entre países que tenham o Português como língua oficial, como Moçambique, Angola, Brasil e Portugal. Para refrescar a memória e começar a colocar as novas regras em prática, veja agora algumas das principais mudanças na grafia das palavras:

Trema

O uso do trema foi abolido para todas as palavras.

 

Uso correto dos acentos

– Palavras terminadas em ÔO(S) ou ÊEM perdem o acento circunflexo.

Ex: voo(s) e creem.

Obs: Os plurais dos verbos TER e VIR mantêm o acento (Ex: elas vêm).

 

– Ditongos abertos ÉI e ÓI em palavras paroxítonas perdem o acento agudo.

Ex: Ideia e assembleia.

Obs: O acento permanece nas oxítonas e em palavras com uma única sílaba.

 

– Vogal tônica do hiato formado com ditongo decrescente perde o acento agudo.

Ex: feiura.

Obs: O acento permanece se o ditongo não é decrescente (Ex: saída).

 

– Palavras homônimas perdem o acento diferencial.

Ex: para e polo.

Obs: O verbo PÔR e a palavra PÔDE mantêm o acento.

 

Uso correto do hífen

Cai o uso do hífen em:

 

– Palavras compostas por elementos de conexão.

Ex: Mão-de-obra fica mão de obra e dia-a-dia fica dia a dia.

 

– Palavras derivadas com prefixos dissílabos terminados em vogal, desde que a palavra seguinte não comece por H ou pela mesma vogal do final do prefixo.

Ex: autorretrato e contraindicação.

Obs: Palavras compostas que sejam topônimos (indicam localidades) ou adjetivos pátrios não perdem o hífen (Ex: sul-africano e norte-americano). – Palavras derivadas com prefixo CO. Ex: cofundador e coprodução.

– Palavras que comecem com o advérbio NÃO.

Ex: não fumante e não violência.

acordo-ortografico-passa-valer-2016-noticias

Fonte: Universia