A música é aliada do seu filho na escola

A música é sinônimo de positividade: ajuda a descansar, leva o pensamento a quem está longe e embala fases inesquecíveis da vida. Mas para os pequenos, ela vem mudando também o comportamento dentro da sala de aula.

“A música só tem nos mostrado aspectos positivos. Ela consegue deixar as crianças mais tranquilas. Além disso, ajuda no envolvimento nas demais disciplinas”, avalia a psicopedagoga Fabianni Moreira, da Upuerê.

O comportamento é o mesmo em toda escola que oferece o ensino de música na grade curricular: quando não é o dia da aula para tocar instrumentos musicais, a agitação é garantida no recreio.

Já nos dias em que sa música está da grade de aulas, as escolas se transformam e o barulho tradicional do pátio dá lugar a uma verdadeira sinfonia – um pouco desorganizada, é verdade, mas cheia de estilo e vontade.

Tamanha mudança ocorre graças à capacidade que a música tem de desenvolver os sentidos nos pequenos, estimular a concentração e ensinar padrões rítmicos e estimular o raciocínio, pontua Juliana Poltronieri, coordenadora da escola Monteiro Lobato, que incluiu a música à grade curricular.

“Muda completamente o comportamento da criança dentro da escola. Eles claramente prestam mais atenção, se comportam mais e se tornam bem mais atentos a tudo”, comemora Juliana.

Além disso, os alunos que são mais tímidos conseguem se comunicar melhor com os colegas de classe e encontram formas diferentes para se enturmarem à garotada.

Tranquilidade

Em casa, as mudanças também aparecem aos poucos e podem fazer com que você se surpreenda com o comportamento diário do seu filho. Principalmente na volta para casa após um dia com a aula de música.

Na casa da estudante Julia Lisboa Nunes, de 10 anos, tudo mudou desde o dia em que ela começou a fazer aulas de teclado, há cerca de dois anos. A concentração ficou maior nos estudos, e ela vem encantando a família com suas habilidades, agora também na flauta.

“Ela adora, gosta muito. Eu senti um desenvolvimento muito grande dela depois que começou a aprender música. Na quinta-feira, que é quando tem a aula, ela já chega mostrando tudo o que aprendeu”, conta a mãe, Irany da Paixão Lisboa.

“Todo mundo gosta de música. Eu acho que tem tudo para contribuir com a criança. A Julia fica mais calma e já vai para a escola entusiasmada. Parece que cria mais vontade de ir estudar”, avalia Irany.

Melhorias musicais

Mais vocabulário
A alfabetização da criança se processa em códigos, ao juntar as letras para formar uma palavra e, assim, associar seu significado com o significante. O mesmo acontece na música, quando a criança une as notas com o ritmo, a melodia. Com as funções cerebrais mais estimuladas, elas aumentam suas possibilidades para adquirir conhecimento.

Concentração e identificação de voz
Além de um vocabulário maior, o aprendizado musical também pode facilitar a concentração das crianças e a identificação de diferentes vozes num ambiente barulhento, por exemplo. Sem falar que também fica muito mais fácil para ela se concentrar em uma leitura, mesmo que não esteja em um local muito silencioso.

Paciência e persistência
Sabe aquela ansiedade do seu filho de querer tudo para agora? Ao aprender a tocar um instrumento, por exemplo, ele vai perceber que nem tudo acontece tão rápido. Crianças que têm contato com a música são mais flexíveis, lidam melhor com imprevistos, frustrações e têm mais rapidez para raciocinar e agir.

Equipe
Aprender música na escola também incentiva a criança a gostar de trabalhar em grupo e de aprender junto com os colegas de classe.

Comunicação
Alunos que são mais tímidos e que têm dificuldade de se aproximar dos colegas podem descobrir na música novas formas de enturmar.

Fonte: Gazeta Online

A música é aliada do seu filho na escola

A música é sinônimo de positividade: ajuda a descansar, leva o pensamento a quem está longe e embala fases inesquecíveis da vida. Mas para os pequenos, ela vem mudando também o comportamento dentro da sala de aula.

“A música só tem nos mostrado aspectos positivos. Ela consegue deixar as crianças mais tranquilas. Além disso, ajuda no envolvimento nas demais disciplinas”, avalia a psicopedagoga Fabianni Moreira, da Upuerê.

O comportamento é o mesmo em toda escola que oferece o ensino de música na grade curricular: quando não é o dia da aula para tocar instrumentos musicais, a agitação é garantida no recreio.

Já nos dias em que sa música está da grade de aulas, as escolas se transformam e o barulho tradicional do pátio dá lugar a uma verdadeira sinfonia – um pouco desorganizada, é verdade, mas cheia de estilo e vontade.

Tamanha mudança ocorre graças à capacidade que a música tem de desenvolver os sentidos nos pequenos, estimular a concentração e ensinar padrões rítmicos e estimular o raciocínio, pontua Juliana Poltronieri, coordenadora da escola Monteiro Lobato, que incluiu a música à grade curricular.

“Muda completamente o comportamento da criança dentro da escola. Eles claramente prestam mais atenção, se comportam mais e se tornam bem mais atentos a tudo”, comemora Juliana.

Além disso, os alunos que são mais tímidos conseguem se comunicar melhor com os colegas de classe e encontram formas diferentes para se enturmarem à garotada.

Tranquilidade

Em casa, as mudanças também aparecem aos poucos e podem fazer com que você se surpreenda com o comportamento diário do seu filho. Principalmente na volta para casa após um dia com a aula de música.

Na casa da estudante Julia Lisboa Nunes, de 10 anos, tudo mudou desde o dia em que ela começou a fazer aulas de teclado, há cerca de dois anos. A concentração ficou maior nos estudos, e ela vem encantando a família com suas habilidades, agora também na flauta.

“Ela adora, gosta muito. Eu senti um desenvolvimento muito grande dela depois que começou a aprender música. Na quinta-feira, que é quando tem a aula, ela já chega mostrando tudo o que aprendeu”, conta a mãe, Irany da Paixão Lisboa.

“Todo mundo gosta de música. Eu acho que tem tudo para contribuir com a criança. A Julia fica mais calma e já vai para a escola entusiasmada. Parece que cria mais vontade de ir estudar”, avalia Irany.

Melhorias musicais

Mais vocabulário
A alfabetização da criança se processa em códigos, ao juntar as letras para formar uma palavra e, assim, associar seu significado com o significante. O mesmo acontece na música, quando a criança une as notas com o ritmo, a melodia. Com as funções cerebrais mais estimuladas, elas aumentam suas possibilidades para adquirir conhecimento.

Concentração e identificação de voz
Além de um vocabulário maior, o aprendizado musical também pode facilitar a concentração das crianças e a identificação de diferentes vozes num ambiente barulhento, por exemplo. Sem falar que também fica muito mais fácil para ela se concentrar em uma leitura, mesmo que não esteja em um local muito silencioso.

Paciência e persistência
Sabe aquela ansiedade do seu filho de querer tudo para agora? Ao aprender a tocar um instrumento, por exemplo, ele vai perceber que nem tudo acontece tão rápido. Crianças que têm contato com a música são mais flexíveis, lidam melhor com imprevistos, frustrações e têm mais rapidez para raciocinar e agir.

Equipe
Aprender música na escola também incentiva a criança a gostar de trabalhar em grupo e de aprender junto com os colegas de classe.

Comunicação
Alunos que são mais tímidos e que têm dificuldade de se aproximar dos colegas podem descobrir na música novas formas de enturmar.

Fonte: Gazeta Online