Data instituída pela OMS lembra a importância da medida, que é negligenciada até mesmo pelos profissionais de saúde

Pode parecer um exagero criar uma data para exaltar a limpeza das mãos, mas nunca isso fez tanto sentido como neste ano de pandemia de coronavírus. Hoje, 5 de maio, é o Dia Mundial de Higiene das Mãos, data instituída pela Organização Mundial da Saúde para lembrar a importância dessa medida simples para prevenir infecções, incluindo a covid-19.

A campanha da OMS, iniciada em 2005, é voltada aos profissionais de saúde, como enfermeiras e parteiras. Mesmo entre esses profissionais, a situação é grave. Um estudo realizado em 2015 pela OMS e pela Unicef em instituições de saúde de 54 países apontou que 35% delas sequer ofereciam sabão e água para que seus profissionais pudessem lavar as mãos de forma apropriada. E, mesmo onde esse material era disponível, 61% dos profissionais de saúde – em alguns lugares, até 90% – não adotavam as melhores práticas de higienização das mãos. As más condições de higiene fazem com que 15% dos pacientes internados em centros de saúde nos países em desenvolvimento sofram com infecção hospitalar.

O problema não se restringe às instituições de saúde. Segundo a Unicef, cerca de 3,5 milhões de crianças morrem a cada ano por complicações decorrentes de diarreia e infecções respiratórias agudas. Esse número poderia ser reduzido em 25% a 50% com a prática regular de lavar as mãos com água e sabão.

Confira a seguir o professor do curso de Bio Medicina da Faculdade PIO XII, Dr. Gustavo Carlete que além de professor da instituição é nosso egresso e motivo de orgulho ensinando a maneira correta de se higienizar as mãos. Carlete Tem experiência na área de Biomedicina, com ênfase em Patologia Clínica, Citologia Oncótica e Diagnóstico por Imagem. É membro da Sociedade Brasileira de Biomedicina Estética/SBBME e residente em Harmonização Facial na Lisbon Academy em Lisboa – Portugal. Veja

Dr. Gustavo Carlete ensina maneira correta de se lavar as mãos em período de pandemia, onde esse simples ato pode salvar vidas!

Fonte do texto: Revista Exame Online – https://bit.ly/2L0igHl